Browsing Tag

Sergipe

25 cidades mais bonitas do mundo: Istambul.
Explorar

As 25 cidades mais bonitas do mundo para fotografar (e se apaixonar à primeira vista)!

Não sei vocês, mas eu vivo para viajar. Amo comer, dormir, escrever, comprar, dançar, mas viajar é a melhor coisa do mundo – porque você pode fazer tudo isso enquanto explora um lugar diferente e entra em contato com um novo sotaque, ambiente, língua, cultura… Enfim, amo viajar e por isso vivo em busca do meu próximo destino. Esse destino pode ou não se tornar realidade, mas sonhar não custa nada. Por isso, tenho uma lista de lugares para ir de fazer inveja a qualquer aeromoça de voos internacionais. Muitos desses desejos nascem de vídeos, registros de outros viajantes e fotografias: foi daí que surgiu a ideia de separar 25 das cidades mais bonitas do mundo para fotografar. Que fique claro: em cada uma delas, existe uma infinidade de coisas incríveis para fazer e conhecer. Porém, confesso: elas estão nesse post, principalmente, por serem lindas. Nível: postar no Instagram a qualquer hora sem precisar de filtro. Algumas, eu já conheço. Outras, quero muito conhecer.

Prepare-se para salvar esse post nos favoritos, pinar as fotos no Pinterest e sonhar com um feed incrível! Tudo isso, enquanto planeja guerras de bolas de neve, mergulhos em águas cristalinas e passeios por ruas multicoloridas e cheias de histórias. Ah! E aproveite e me diga nos comentários: Quais das cidades da lista você já conhece?Quais das 25 cidades mais bonitas do mundo para fotografar você ficou a fim de conhecer?

(P.S.: É provável que esse post tenha uma parte II, já que foi muito difícil escolher apenas 25. O que acham da ideia?)

As 25 cidades mais bonitas do mundo para fotografar (e se apaixonar!)

As cidades mais bonitas do mundo pra conhecer assim que der: América

Mont-Tremblant (Canadá)

25 cidades mais bonitas do mundo: Mont-Tremblant.

Mont-Tremblant é o cenário perfeito para um feed invernal.

Patagonia (Chile)

25 cidades mais bonitas do mundo: Patagonia.

A Patagonia chilena é um dos mais belos destinos da América Latina – e do mundo.

Clique para ler mais

razões para amar sergipe
Explorar

Sobre Aracaju: 162 razões para amar Sergipe!

A menor capital do país fez 162 anos no dia 17 de março e eu decidi fazer uma homenagem não só à Aracaju como a todo o estado de Sergipe. 162 anos de Aracaju, 162 razões para amar Sergipe. Se vocês acharam que eu esqueci ou não mencionei boas razões para amar Sergipe, por favor, deixem nos comentários as suas sugestões! E, se você é sergipano ou pretende visitar o estado em breve, aproveite e dê uma lida nas 11 coisas que você precisa saber antes de conhecer Aracaju.

162 razões para amar Sergipe: quais delas você conhece?

1. Tudo é perto.

Em Aracaju, nas cidades do interior e até de uma cidade a outra, as distâncias são pequenas. Não é à toa: Aracaju é a menor capital do país e Sergipe é também o menor estado. Em outras palavras: se alguém mora na mesma cidade que você e avisa que está saindo de casa, provavelmente chegará em questão de minutos na sua. Mágico.

2. Os preços.

Afinal, Aracaju é uma das 5 capitais mais baratas do Brasil.Nas cidades do interior, então… Altas pechinchas!

3. As pessoas.

Os sergipanos são abertos a amizades, gentis e adoram recepcionar turistas. Mesmo na capital, por ser pequena, ainda rola um gostinho de cidade de interior, onde as pessoas se importam umas com as outras, sabe?

4. A beleza indescritível do cânion do Xingó.

Taí uma das mais famosas razões para amar Sergipe: Xingó, o quinto maior cânion navegável do mundo.

razões para amar sergipe Cânion do Xingó em Sergipe

De encher os olhos.

5. O sotaque.

Porque não, sotaque nordestino nãoé tudo igual.

6. A praia do saco.

praia do saco aracaju razões para amar sergipe

Praia do Saco.

7. As sorveterias maravilhosas.

Mais informações, fotos e preços em: “As melhores sorveterias de Aracaju“. E dicas de onde comer no vídeo TOP 10 lugares para comer em Aracaju.

Melhor sorvete. Morro de saudade quando tô em SP!

A post shared by Blog DeClara (@blogdeclara) on

8. A paradisíaca Croa do Goré.

Praia de água doce, areia branquinha, peixe assado ou frito por pescadores e muita tranquilidade.

croa do goré razões para amar sergipe

Croa do Goré, em Sergipe.

Clique para ler mais

restaurantes de comida nordestina em sp comida nordestina de verdade
Comer, Explorar

5 restaurantes de comida nordestina de verdade em São Paulo

Moro em São Paulo há 5 anos, mas nunca me acostumei – e nem pretendo! – à ausência dos pratos típicos da culinária nordestina no meu dia a dia. Moqueca, carne do Sol, farofa, tapioca (de verdade, não a massa com polvilho), bobó, vatapá, cuscuz, acarajé, pirão de leite, feijão de corda, doce de leite (ambrosia), siri, caranguejo, baião-de-dois, torta de macaxeira… São tantas as comidas que fazem falta na rotina de uma nordestina perdida em SP que não dá nem pra fechar a conta. Pois bem. Não me acostumei e nem pretendo. Até porque, a convite da Expedia Brasil, tomei como missão gastronômica encontrar os melhores restaurantes de comida nordestina em SP, mas comida nordestina de verdade. E não só cumpri a missão como trouxe a lista para vocês.

*Você vai gostar também:Os 17 motivos para morar em São Paulo!*

Restaurantes de comida nordestina em SP (de verdade!)

Esquina Mocotó, Mocotó e Mocotó Café

O Mocotó é, certamente, o restaurante nordestino mais famoso de SP. É premiado, ano após ano, e não é pra menos. A comida é deliciosa, o ambiente é gostoso, o atendimento é incrível. Conheci o Esquina Mocotó em 2015 e foi o melhor achado gastronômico do ano inteiro. O Esquina Mocotó é um puxadinho chique do Mocotó e que fica literalmente na esquina dele. Eu recomendo o Steak de paleta com purê de batata assada e farofinha de pão(R$45), que é, facilmente, um dos melhores pratos que comi nesses meus cinco anos de São Paulo. O baião-de-dois de lá também é bem famoso – e gostoso! A culinária dos três Mocotós é contemporânea e traz muito do sabor nordestino e alguns invencionismos – e ainda bem, porque a mistura simplesmente funciona.

Endereços:

Mocotó e Esquina Mocotó – Avenida Nossa Senhora do Loreto, 1100 e 1108, respectivamente.

Mocotó Café – Mercado de Pinheiros. Clique para ler mais

Il Sordo gelateria sorveteria surdos
Comer

Il Sordo, a primeira sorveteria brasileira 100% comandada por surdos!

Il Sordo, a sorveteria sergipana comandada por surdos

Para quem não sabe: eu sou sergipana. Moro em São Paulo, mas minha família quase toda está em Aracaju-SE. Portanto, vivo por lá e iria mais se as companhias aéreas não tivessem dobrado os preços(aliviem a barra aí, pufavô?)nos últimos dois anos. Da última vez que fui lá, há algumas semanas, ouvi falar da Il Sordo, uma sorveteria/gelateria artesanal genuinamente sergipana e 100% comandada por surdos. Como eu sou talvez a maior fã de sorvete que há nesse mundão de Deus e também adoro empreendimentos inclusivos, fui lá conferir a Il Sordo rapidinho. Resultado: amei. São poucos os sabores de cada vez, mas todos feitos artesanalmente e com todo o cuidado do mundo, um amorzinho mesmo. Aproveitei a ida para bater um papo com José, que é o pai do dono da gelateria, Breno.

Quando surgiu a ideia da Il Sordo e por quê?

A idéia foi do Breno, que queria três coisas: ser um empresário surdo (ele não conhecia nenhum aqui em Sergipe nem em vários outros lugares que fosse surdo); depois, vender açaí e paletas mexicanas; e terceiro ele lembrou que o avô teve uma sorveteria anos atrás, e me perguntou se eu não gostaria de começar um negócio igual.

Como eu tinha conhecido o gelato na Itália, sugeri a ele estudar o gelato como alternativa. Daí viajamos a São Paulo, fizemos cursos sobre o assunto e começamos a estudar máquinas, processo de produção, comercialização, etc. até chegar ao formato final: fabricação artesanal de paletas mexicanas e, principalmente, gelato, em uma empresa com a marca da surdez que é própria da identidade pessoal do Breno, como surdo.

Como vocês se prepararam para a inauguração da Il Sordo?

Estudando, fazendo cursos, olhando negócios parecidos. No final, optamos por um negócio pequeno. A Il Sordo é uma empresa artesanal, de um microempresário. Mas achamos que esse ramo de negócio permite crescer, o que só acontecerá na medida em que o Breno for superando algumas barreiras: pouco capital pra começar, concorrência difícil, alto custo dos insumos, momento econômico difícil, complexidade da legislação tributária brasileira – tudo isso são coisas ainda mais difíceis de vencer, agravadas porque a sociedade tem dificuldade de conviver com pessoas surdas. Mas são barreiras que podemos vencer, e o Breno está disposto a trabalhar para isso, tanto fazendo um produto de excelente qualidade como gerando um ambiente de trabalho inclusivo e estimulante para pessoas surdas.

Vocês enfrentam ou já enfrentaram algum obstáculo na hora do atendimento? Clique para ler mais