Browsing Tag

governo

Romantização da pobreza
Inspirar

Romantização da pobreza

Você já parou para refletir sobre como a pobreza é romantizada?

Tentar sobreviver ao desemprego vira “empreendedorismo”, usar fogão à lenha porque não tem dinheiro pro gás é “resgate à tradição” e precisar catar livros no lixo para estudar é “um exemplo a ser seguido”. 

A romantização da pobreza está na mídia, na cultura, nos conselhos que vilanizam ter dinheiro, na mentira da meritocracia e no personagem mítico do *pobre que é feliz em ser pobre* (ele, sim, precisa de pouco pra viver!). 

Continue lendo esse post e saiba mais sobre o assunto.

A romantização da pobreza

É romântico pensar na pobreza como uma forma nostálgica de simplicidade. E no dinheiro como algo que destrói famílias, complica a vida e afasta relações verdadeiras.

“O pobre não precisa de muito para ser feliz, já o rico, sim. Dinheiro não traz felicidade! Dinheiro pra quê? Melhor mesmo é ser rico em saúde e amor…”

A narrativa do pobre feliz em ser pobre tem sido vendida há séculos. Neste post, trago exemplos e reflexões sobre como isso acontece ainda hoje.

Mas já adianto: a romantização da pobreza é uma estratégia de alienação política e tem como principal objetivo a manutenção da desigualdade.

Romantização da pobreza… na cultura

A pobreza romantizada é perpetuada na cultura há séculos, trago só alguns exemplos:

“Dinheiro não compra felicidade”, “de que adianta ser rico e triste?”, “dinheiro complica tudo”, “dinheiro só traz problema”: quantas frases como essas você já ouviu? Muitas desincentivam a ambição, inventam razões para exaltar a pobreza e vitimizam os ricos.

Infinitos filmes, séries, novelas sobre personagens solitários e tristes por serem ricos. Uns sonham com uma vida simples. Outros, abrem mão de tudo para finalmente serem felizes. Ainda há os que abdicam da riqueza dos pais só para ficarem ricos “sozinhos”, em belos contos meritocráticos.

A ideia de que o pobre precisa de pouco para ser feliz, como se a falta de acesso fosse, na verdade, uma bênção.

romantização da pobreza… na mídia

A mídia romantiza a pobreza todos os dias:

Notícias que transformam o sofrimento de pessoas em heroísmo e provas da meritocracia: a menina que andava 20km até a escola. O rapaz que passou no ENEM catando livros no lixo. A família que “resgatou as raízes” usando fogão a lenha. A mãe desempregada que virou empreendedora vendendo pipoca. “Se eles conseguiram, só não consegue quem não quiser” é a mensagem subentendida.

Miséria como experiência. 
A mentalidade é explorada na moda, com editoriais que mostram moradores de rua. No turismo, com hotéis simulando barracas e favelas para ricos viverem dias de pobreza chique.

Falando em “pobreza chique”, o termo virou “estética” instagramável e “poverty chic” tem mais de 7 milhões de menções no Google.

dinheiro compra felicidade?

E com tudo isso quero dizer que dinheiro compra felicidade? Não. Quero dizer que, em uma sociedade capitalista, dinheiro compra acessos a:

Educação
Saúde
Cultura/Lazer
Justiça
Boa alimentação
Tempo/Ócio/Criatividade

O ideal seria que todos tivessem acesso a essas coisas. Mas, enquanto isso não acontece, precisamos cortar pela raiz discursos que romantizam sofrimento e culpabilizam pessoas por serem vítimas de um sistema injusto

A “pobreza feliz, simples, satisfeita” e a meritocracia são mentiras que favorecem poucos.

para refletir e repassar

Romantização da pobreza

1. Dinheiro não compra felicidade, mas compra acessos. Educação, comida, saúde, cultura, tempo e justiça se tornam bem mais possíveis com dinheiro.

2. A pobreza não é mais simples. Ela tira o sono, a saúde e o lazer.

3. Meritocracia é uma mentira que só continua sendo contada porque favorece aqueles que estão no poder. É mais fácil justificar desigualdade com merecimento do que com exploração.

4. Representatividade importa. É mais fácil desejar e exigir mais quando há exemplos a seguir.

5. O pobre não precisa de menos para ser feliz. É importante não confundir falta de oportunidade com falta de vontade.

Você já tinha pensado sobre isso? Tem visto exemplos de romantização da pobreza? Me conte nos comentários.

Faça a sua parte, compartilhe o post. Convide pessoas a repensarem!

___________________________________________________________

Gostou? Me acompanhe nas redes socias:

Instagram: @clarafagundes e @olabruxas  

Linkedin: Clara Fagundes

Pinterest: Pins de Clara

Telegram: canal das bruxas 

E aprenda comigo em: 

Manual da Feminista 

A Profissional do Futuro

Retrospectiva feminista 2021
Explorar, Inspirar

Retrospectiva Feminista 2021

Uma retrospectiva feminista e otimista de 2021!

No post de hoje, trago uma retrospectiva das maiores conquistas das mulheres em 2021.

Para começar o novo ano de 2022 com muitos motivos para acreditar em futuros melhores e mais feministas!

Seis meses após legalização, nenhuma mulher morreu por abortar na Argentina

“Essa é definitivamente uma prova da efetividade da normativa e uma demonstração cabal de que sua implementação era necessária e urgente”, afirmou a ministra Elizabeth Alcorta, de Mulheres, Gêneros e Diversidade.
Antes da aprovação da nova lei, cerca de 38 mil mulheres foram hospitalizadas ao ano no país por conta do procedimento ilegal.
Vidas de mulheres importam!

Fonte: Yahoo! Notícias.

Olimpíadas de Tóquio 2021: Mulheres brasileiras conquistam melhor resultado da história

As atletas brasileiras brilharam em Tóquio 2021, fechando os Jogos com o melhor desempenho até agora em todas as Olimpíadas de que participaram. Elas subiram ao pódio em Tóquio 9 vezes. No Rio, em 2016, foram 5 vezes.
Quem vibrou muito nessa torcida?

Foonte: BBC News.

Mulheres negras são maioria nas universidades públicas brasileiras

A Unicamp e a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO) levantaram os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE, onde 27% dos estudantes dessas universidades são mulheres negras.
Pesquisadores afirmam que o resultado positivo é fruto das políticas públicas de acesso ao ensino superior voltadas para minorias, como as cotas.

Fonte: UOL Cultura.

Xiomara Castro é 1ª mulher presidente de Honduras, e devolve esquerda ao poder

Xiomara propôs legalizar o aborto em determinadas circunstâncias, e estender programas sociais. Sua vitória encerra 12 anos de governo conservador e representa a volta da esquerda hondurenha ao poder pela primeira vez desde o golpe de Estado apoiado pela direita e pelos militares em 2009.
¡Por favor ven a Brasil!

Fonte: BBC News.

Primavera Indígena: Mulheres indígenas ocupam Brasília para reflorestar mentes

Na maior ocupação indígena da história, cerca de 4 mil mulheres, de 150 povos diferentes, e muitos cantos do país, marcharam juntas em Brasília em mobilização permanente. Elas lutam não só pela demarcação de terras e contra a agenda anti-indígena do atual governo, mas sobretudo pela preservação da natureza, pela vida e pela democracia. Avante!

Fontes: Cimi.org, Jornalistas Livres.

Cientista brasileira está em lista de mulheres mais influentes de 2021

Lista anual da BBC homenageia mulheres inspiradoras e influentes. Natalia Pasternak é microbiologista, pesquisadora e divulgadora científica. Ela foi incluída como destaque pelo seu trabalho crucial de combate à desinformação no país durante a pandemia de covid-19.
Necessária!

Fonte: TecMundo.

Primeira presidente mulher da OAB-SP: ‘Devemos sentar à mesa e discutir aborto’

Advogada, mestre, doutora e professora há quase 20 anos, Patricia Vanzolini, 49, que assumirá cargo em 2022, levanta a bandeira da inclusão, diversidade e direitos humanos. Renovação para a maior entidade de advogados do país, que era comandada pelo mesmo grupo há 30 anos. E ela avisa: “A mudança vai começar”!

Fonte: UOL Universa.

Aluna do Ceará descobre 46 asteroides em projeto com a Nasa

A descoberta ocorreu em novembro durante projeto Caça Asteroides da Nasa, desenvolvido de forma online e que tem parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Até conseguir detectar o primeiro asteroide, levou um tempo. Sem experiência, começou a observar outras cientistas cidadãs fazendo detecção.
“Quando uma mulher consegue realizar seu sonho e ser protagonista de algo, abre portas para outras mulheres.” disse Geovana Sousa, 21, estudante de física do Ceará.

Fonte: UOL Folha.



Qual desses momentos é seu favorito? Que momento ou notícia você incluiria em uma retrospectiva feminista de 2021? 🧙‍♀️

Compartilhe e relembre bons momentos! 2021 não foi fácil, mas fica aqui essa dose de esperança pra renovar as forças pra lutar em 2022. 🗣

Ah! Acompanhe @clarafagundes para mais conteúdos sobre feminismo.

Romantização da pobreza: o pobre não pode nada?
Inspirar

Romantização da pobreza: o pobre não pode nada?

uma reflexão sobre o imaginário popular – e romantizado – da pobreza.

A pobreza que abre mão de tudo e que nunca cede aos prazeres mundanos.
A pobreza que precisa não ter NADA para merecer o mínimo.
A pobreza humilde, sofrida… bonita, quase.
Ela se opõe, claro, à pobreza preguiçosa, merecida.

São essas as ideias por trás das frases:

“Seu filho não tem leite e você está pedindo na internet? Venda o celular!”

“Será que tá sem leite mesmo? Ou você não está fazendo o que deveria?”

E de tantas outras, tão rotineiras:

Clique para ler mais
Traduzindo: Dialeto Minion
Inspirar

Dicionário Minion: Traduzindo o dialeto

Sabe aquelas expressões de sentido vago que ouvimos com frequência a partir de certos grupos de pessoas? Sim, aquelas pessoinhas interessadas em barrar o avanço da luta por direitos e igualdade social, e que para isso preferem utilizar palavras ou frases muito mal explicadas, por completa falta de argumentos e/ou para mascarar suas reais crenças.
Nesse post, traduzo algumas expressões do dialeto minion e revelo as intenções e significados por trás desse discurso.

“MIMIMI”

O que realmente significa:

“A dor que não me incomoda porque não dói em mim”.

Identifique em frases:

1.”Não gostou da minha piada racista? Quanto mimimi!”

2. “Chega de frescura e de mimimi. Vão ficar chorando até quando?” (Bolsonaro sobre a pandemia)

“Lacração”

O que o(a) minion quer dizer:  

Apontar e rejeitar preconceito, machismo, racismo, LGBTfobia.

A razão minion para usar:

Constranger e silenciar pessoas que apoiam causas sociais e identitárias.

“Comunismo”

O que o(a) minion quer dizer:

Querer uma sociedade menos desigual, com educação, saúde, saneamento básico e moradia para o povo.

O que significa… na pandemia:

Ser contra a política de morte do governo, valorizar a vida de brasileiros e apoiar a ciência.

A verdade escondida:

Completa ignorância sobre história e política.

“O mundo tá chato”

O que o(a) minion quer dizer:

“Agora não posso mais ofender pessoas sem ser julgado por isso!”

O aviso:

“Chato” mesmo era aguentar opressão em silêncio. Era ver gente preconceituosa sair sempre ilesa. Nós não vamos retroceder. Então, minion, melhor se acostumar a viver em sociedade.

“Geração nutella”

O que realmente significa:

Qualquer pessoa que não normalize bullying, machismo, opressão, racismo…

O desejo minion subentendido:

Poder continuar sendo preconceituoso sem sofrer nenhuma consequência por isso.

“Mídia imparcial”

O que realmente significa:

Mídia que não noticie os absurdos do desgoverno Bolsonaro.

O truque por trás da palavra:

Mídia “imparcial” = de extrema direita ou as fakes news do Whatsapp.

“Feminazi”

O que o(a) minion quer dizer:

Feminista.

O truque por trás da palavra:

Separar a “feminista boa” (a que convém e não incomoda) e a feminista má (todas).



Quais dessas expressões do dialeto minion você já ouviu? Comente aqui embaixo!

Compartilhe o post e ajude pessoas a traduzir essas expressões no dia a dia. ✨

Acompanhe também @clarafagundes para mais conteúdos educativos e análises como essa! 🙋🏽‍♀️

mitos do brasil conservador
Inspirar

Mitos do Brasil conservador

Uma lista da mitologia do absurdo.

Trago hoje uma #listadeclara com alguns dos maiores mitos do Brasil conservador: Mentiras absurdas contadas para tentar barrar o progresso social e de direitos no nosso país.

“Há uma ameaça comunista iminente”

O Brasil nunca esteve e nem está perto de se tornar um país comunista.

O comunismo é um fantasma, uma mentira adotada há décadas pela extrema direita para enganar pessoas a votarem por medo.

“Bilionários são bilionários porque trabalharam muito e fizeram por merecer.”

Trabalho não significa concentração de renda e merecimento é subjetivo.

Por que o jogador de futebol merece milhões de reais e o trabalhador rural merece um salário mínimo?

“Classe média e elite têm os mesmos interesses”

O delírio da classe média é acreditar que está mais próxima da elite do que da “classe trabalhadora”. E que, por isso, seus interesses são semelhantes. 
Isso não é verdade e nunca foi. 

Nenhum assalariado é rico

Classe média não é elite. 

Meritocracia é um mito. 

Pessoas de classe média não têm “fortunas” a serem taxadas.

“Não respeitar preconceito é intolerância.”

“Você fala em respeito, mas não respeita a minha opinião”. 

Preconceito não é opinião

Preconceito é crime

Esse argumento é desonesto é uma falsa simetria.

“Educação sexual serve para ensinar crianças
a transar e a serem gays.”

Orientação sexual não é algo que pode ser ensinado a alguém. E se fosse assim, todas as pessoas seriam heterossexuais, já que as referências que recebemos desde sempre são heteronormativas.

Educação sexual infantil serve para proteger crianças e não ensinar a transar. 

“A China implantou chips líquidos nas vacinas.”

Essa tecnologia não existe. Repassem.


Quais desses mitos do brasil conservador você já ouviu? O que você incluiria nessa lista de absurdos?
Me conte nos comentários!

Compartilhe o post e ajude a combater essas fake news. 🔥

Acompanhe também @clarafagundes para mais informações de utilidade pública e conteúdos educativos como esse.

Tempo é preciosoO sucesso TMConselhos para o eu do passadoMulheres no mercado de trabalhoHomens, mulheres e infantilização