Browsing Tag

comportamento

08 frases para normalizar
Inspirar

08 frases para normalizar

Você já foi vista como grossa por devolver o incômodo, dizer não ou simplesmente ser assertiva?

Eis a lista atualizada de 08 frases que a gente já passou da hora de normalizar:

1. “Não.”

Não quero/Não vou.
Simples assim.
Sem inventar desculpa.
Sem se justificar muito.
“não” e pronto.

2. “Estou falando, pare de me interromper.”

3. “Obrigada, mas eu não pedi sua opinião.

4. “Sim, eu entendi… e discordo.”

5. “Procure no Google.”

Se você quer tanto entender/aprender, por que não pesquisa?

Essa é para quem quer que você esteja 100% à disposição para explicar, em detalhes, o que poderia ser aprendido com uma pesquisa rápida. Ou para aquela pessoa que vive na lei do mínimo esforço, mas adora repassar o próprio trabalho para os outros.

6. “Não te dei intimidade pra isso.”

8. “Sim, eu acabei de falar isso”

7. “Isso não é engraçado.”

Tudo isso já deveria ser normalizado faz tempo, mas, principalmente para mulheres, não é.

Me conte nos comentários: Qual dessas 08 frases você MAIS gostaria de normalizar?

Compartilhe e ajude outras mulheres a normalizar essas frases libertadoras.

___________________________________________________________

Gostou? Me acompanhe nas redes socias:

Instagram:@clarafagundese@olabruxas

Linkedin:Clara Fagundes

Pinterest:Pins de Clara

Telegram:canal das bruxas

E aprenda comigo em:

Manual da Feminista

A Profissional do Futuro

Inspirar

Dinheiro traz felicidade, sim.

Hoje eu vim desconstruir essa mentirinha que, mesmo contada infinitas vezes, não virou verdade. Vamos falar sobre dinheiro e planejamento financeiro, sim!

“Dinheiro não compra felicidade”

“Dinheiro só traz problema”

“De que adianta ser rico e triste?”

“Dinheiro complica tudo”

“Dinheiro transforma as pessoas (pra pior)”

Quantas frases como essas você já ouviu?

Aprendemos desde cedo que querer ter mais dinheiro é um desejo egoísta, quase sujo.

“Quer mais dinheiro para quê?”

“Já sei, você quer casar com um homem rico. Esperta…”

“Ué, quer ganhar mais do que seu pai (ou marido)?”

Principalmente em mulheres, ambição e metas financeiras não costumam ser incentivadas. Por quê? Porque não é o dinheiro que importa, é o que ele nos permite fazer.

DINHEIRO COMPRA ACESSOS A:

☑️Educação de qualidade;

☑️Alimentação saudável e variada;

☑️Muitas alternativas de saúde;

☑️Cultura, livros, cinema;

☑️Viagens, lazer…

Dinheiro, das mais diversas formas, abre portas, inclusive aquelas portas que continuam fechadas ou inacessíveis à maioria das mulheres.

POR ISSO, FALAR SOBRE MULHERES&DINHEIRO É FUNDAMENTAL. ​

Meninas precisam aprender, desde cedo, a desejar ter autonomia financeira. Mulheres precisam aprender sobre finanças, economias, investimentos, como evitar dívidas e planejar a vida financeira de maneira geral.

Você foi ensinada a buscar autonomia financeira?

Já teve a sua ambição ridicularizada ou até transformada em “culpa”?

___________________________________________________________

Gostou? Me acompanhe nas redes socias:

Instagram: @clarafagundes e @olabruxas

Linkedin: Clara Fagundes

Pinterest: Pins de Clara

Telegram: canal das bruxas

E aprenda comigo em:

Manual da Feminista

A Profissional do Futuro

Inspirar

BBB de homens – e a decadência do identitarismo

Uma #AnálisePop sobre a decadência do identitarismo no BBB e em nossas vidas.

Identitarismo, que eu apelidei de ativismo narcisista, é o ativismo que coloca as experiências, dores e necessidades individuais acima de tudo. 

“Eu vivo isso, então eu sei melhor do que ninguém”.

“Você é diferente de mim, então não tem lugar de fala.”


“Cala a boca, privilegiado(a)…”


“A minha vitória é a vitória de todas as pessoas que se parecem comigo!”


“E, se você não pensa assim, então é _____ (insira: machista, racista, gordofóbico, transfóbico) e torce contra todo o meu ‘grupo'”. 

Para essas pessoas, elas representam uma causa inteira e a própria causa é, de longe, a mais importante e urgente de todas.

Portanto, não podem ser contrariadas e vão usar chantagem emocional política para garantir isso, mesmo em situações que são individuais e não coletivas. 

E o que isso tem a ver com BBB?


(mais…)
Inspirar, Usar

Elitismo cultural: explicando

Elitismo cultural é a ideia de que só umas produções artísticas e culturais são válidas, mas o que é “popular”, não. 

Assim, há uma minoria que compõe a “elite cultural” e define o que é cultura

“Você vê BBB? Que perda de tempo! Por quê não vai ler um livro?”
“Quem não gosta disso é porque não entende”
”É um filme para poucos.”
“Ah… desde quando isso é música?”
“Tem que ser muito burro para gostar de ver ou fazer isso”
“O povão não gosta de coisa boa, só dá valor a baixaria”
“Não é opinião, é que essa música É ruim.”
“Ah, você gosta desse tipo de filme? Então você não sabe o que é cinema de verdade.”

Elitismo cultural

Ah… o elitismo cultural. Pensei que a essa altura já teríamos superado isso. Infelizmente, não.

Você sabe o que é elitismo cultural? É a ideia de que só algumas produções artísticas e culturais são boas e válidas, enquanto a maioria não é. 

Na mesma lógica, o seleto grupo das pessoas que consomem essas alternativas aceitáveis, boas o suficiente para serem consideradas cultura, forma a elite cultural.

A elite cultural despreza tudo que é popular e brasileiro. Não assiste as bobagens que passam na TV aberta. Passa o fim de semana folheando livros de psicanálise e vendo documentários em sueco. Nunca assistiu a UM filme dublado sequer, nem mesmo uma animação. E o requisito fundamental: Acha que pode julgar o que é cultura de acordo com seus gostos.

O delírio da superioridade

Clique para ler mais

Inspirar, Sentir

Elogios que não são elogios

Uma lista de “elogios” que não são elogios e que você já pode tirar do vocabulário.

“Beleza exótica”

Você sabe o que é exótico? É estranho, excêntrico, estrangeiro.

O elogio “beleza exótica” não por coincidência é mais usado para descrever mulheres pretas, indígenas, mestiças… Ou seja, que não se encaixam no ideal de beleza clássica, eurocêntrica, que é uma visão que nem deveria ter espaço no Brasil.

Não dá mais para reforçar a beleza branca como a clássica, a ideal, e todas as outras como exóticas, diferentes.

“…Pra idade”

“Bonita… pra idade.”

“Sexy… pra idade.”

“Está super bem… pra idade dela.”

Bastante etarista, esse elogio sugere que beleza de verdade mesmo, só na juventude. Depois disso, é como se a pessoa virasse “café com leite”.

Se você não consegue ver o problema no elogio “pra idade”, imagine se fosse “pra uma mulher”:

“É super inteligente… pra uma mulher.”
”É muito criativa… pra uma mulher.”
”Nossa, é tão boa motorista… pra uma mulher!”

Soa bem preconceituoso, né? Porque É.

“Diferente das outras”

Por que não dizer: “você é autêntica”, “criativa”, “interessante”?
Por que precisa ser esse elogio que compara outras mulheres?

Porque a ideia é sexista e incentiva a rivalidade feminina.

Aceitar essa frasezinha como elogio é entender que se você sair da linha e decepcionar a pessoa que está te elogiando, num passe de mágica você irá virar uma das outras – que não são tão dignas, tão inteligentes, não são tão profundas, criativas, diferentes, e daí em diante. Nem caia nessa.

“Magra”

Dos mesmos criadores de: gorda como ofensa, veio magra como elogio.

Clique para ler mais
Tempo é preciosoO sucesso TMConselhos para o eu do passadoMulheres no mercado de trabalhoHomens, mulheres e infantilização