Browsing Tag

análisepop

Inspirar

Por que certos homens “passam”? – Uma Análise Pop

Você já reparou como certos homens e seus erros passam despercebidos?

A última eliminada do Big Brother Brasil foi a incrível Linn da Quebrada, em um paredão com Gustavo e Eliezer, mesmo depois de todos os participantes do quarto Lollipop terem sido definidos como prioridades máximas para eliminação. ⁣

Nem dá pra se surpreender. ⁣

No BBB21, vimos isso quando Carla Diaz foi eliminada num paredão com Rodolffo e Fiuk. ⁣
⁣No BBB20, quando Bianca Andrade (Boca Rosa) foi eliminada num paredão com Felipe Prior. ⁣

Punir os erros delas é sempre a prioridade. Os deles, podem ficar para depois!

Continue lendo essa análise pop para entender mais sobre o fenômeno.

Certos homens passam – no BBB

A participação de Eliezer tem sido menos do que relevante na edição desde a primeira semana.

Não ganhou nenhuma prova de anjo ou líder.

Não protagonizou nenhum momento marcante.

Ao contrário, a proximidade com ele enfraqueceu participantes que em determinado momento eram queridos, como Natália e Vyni.

Achou engraçadinho fazer piada sobre “traveco” no dia seguinte à entrada de Lina no BBB.

É parte do quarto Lollypop, que desde o início foi escolhido como o perdedor dessa edição.

Na sua única oportunidade de eliminar alguém do outro quarto, traiu o seu grupo e colocou uma aliada no jogo no paredão.

Ainda assim, nas duas vezes em que foi ao paredão, Eliezer ficou… e mulheres com narrativas mais marcantes saíram.

Num paredão com ele, Lina foi eliminada com 77% de rejeição. A principal justificativa? Ela era uma má jogadora, estava fazendo hora extra no jogo.

Uma das poucas participantes carismáticas da edição, Lina entregou ensinamentos, garra, poesia e personalidade. Entre erros e acertos, foi leal às suas, cultivou afetos e foi uma personagem que vai ficar marcada na história do programa.

Muito mais do que se pode dizer de Eliezer. “Ele sai depois!” – dizem os comentários na internet.

Claro. Assim como Fiuk, que foi em 5 paredões e acabou na final, para “surpresa” de todos que, semana a semana, escolheram eliminar outros.

Em sua maioria, outras.

Por que certos homens passam?

Homens e mulheres erram, mas elas pagam mais caro – e quanto antes, melhorJá os erros masculinos (principalmente de homens brancos) parecem menos graves, importantes. Eles são mais facilmente perdoados e as consequências de suas ações frequentemente “ficam pra depois”.

Clique para ler mais
Inspirar, Usar

Elitismo cultural: explicando

Elitismo cultural é a ideia de que só umas produções artísticas e culturais são válidas, mas o que é “popular”, não. 

Assim, há uma minoria que compõe a “elite cultural” e define o que é cultura

“Você vê BBB? Que perda de tempo! Por quê não vai ler um livro?”
“Quem não gosta disso é porque não entende”
”É um filme para poucos.”
“Ah… desde quando isso é música?”
“Tem que ser muito burro para gostar de ver ou fazer isso”
“O povão não gosta de coisa boa, só dá valor a baixaria”
“Não é opinião, é que essa música É ruim.”
“Ah, você gosta desse tipo de filme? Então você não sabe o que é cinema de verdade.”

Elitismo cultural

Ah… o elitismo cultural. Pensei que a essa altura já teríamos superado isso. Infelizmente, não.

Você sabe o que é elitismo cultural? É a ideia de que só algumas produções artísticas e culturais são boas e válidas, enquanto a maioria não é. 

Na mesma lógica, o seleto grupo das pessoas que consomem essas alternativas aceitáveis, boas o suficiente para serem consideradas cultura, forma a elite cultural.

A elite cultural despreza tudo que é popular e brasileiro. Não assiste as bobagens que passam na TV aberta. Passa o fim de semana folheando livros de psicanálise e vendo documentários em sueco. Nunca assistiu a UM filme dublado sequer, nem mesmo uma animação. E o requisito fundamental: Acha que pode julgar o que é cultura de acordo com seus gostos.

O delírio da superioridade

Clique para ler mais
Inspirar

A desculpa do preconceituoso aprendiz

o ano é 2022… e ainda vivemos a desculpa do preconceituoso aprendiz?

A desculpa do preconceituoso aprendiz é uma narrativa usada, à exaustão, para perdoar, justificar e amenizar preconceitos e opressões. 

Racismo? Machismo? LGBTQIAfobia? Gordofobia? 

Não importa se a pessoa tem 20, 36 ou 50 anos, se vive em sociedade e até usa a internet diariamente… Poxa, como ela poderia saber que uma fala ou atitude era preconceituosa?

Os argumentos são diversos, mas posso garantir que você já ouviu, leu – ou usou, quem sabe? – ao menos um deles.

O(a) preconceituoso(a) aprendiz 

Nunca faz nada por mal. A maldade está nos olhos de quem vê, sabe? 

– Erra sempre e, mesmo sendo corrigido ou pedindo desculpas, nunca aprende. Depois é só pedir desculpa de novo, né?  

– Decide que sempre quis aprender a respeitar as pessoas apenas quando convém. Num BBB, por exemplo.

– Acha que todos têm a obrigação de ensinar como tratar as pessoas com respeito;

– Adora pedir opinião sobre seus “erros inocentes”, principalmente se isso fizer com que a vítima saia como exagerada

– Fala as coisas sem pensar… e odeia mimimi

Checklist do(a) preconceituoso(a) aprendiz

1. Usar uma “anedota” ou “piada” para expressar um preconceito.

2. Ofender, ser corrigido e depois ir contar para outras pessoas e repassar a ofensa.

Clique para ler mais
Inspirar

Por que o BBB importa?


Por que o BBB importa? O que acontece e é dito no reality ecoa em todo o país.

Ninguém precisa gostar do BBB, mas sua relevância é inegável.

O maior reality show do país, em 2021, o BBB teve uma média de audiência de 40 milhões de pessoas por dia. 

O programa, por si só, é um experimento social.

Gravadas 24h/dia, pessoas que não se conhecem vão se relacionar e se apresentar à audiência. Fingir (e sustentar), nesse cenário, é difícil.

Assim, em toda edição, problemas da sociedade aparecem: machismo, gordofobia, racismo, LGBTQfobia, xenofobia. Vários se expressam nos participantes… mas também na seleção e na audiência.

Será pura coincidência termos majoritariamente pessoas cis, de até 35 anos, de classes AB, magras, heterossexuais, brancas e de regiões específicas do país? É o acaso que seleciona sempre homens que qualquer pessoa na internet sabe que são machistas?

Clique para ler mais
Romantização da pobreza: o pobre não pode nada?
Inspirar

Romantização da pobreza: o pobre não pode nada?

uma reflexão sobre o imaginário popular – e romantizado – da pobreza.

A pobreza que abre mão de tudo e que nunca cede aos prazeres mundanos.
A pobreza que precisa não ter NADA para merecer o mínimo.
A pobreza humilde, sofrida… bonita, quase.
Ela se opõe, claro, à pobreza preguiçosa, merecida.

São essas as ideias por trás das frases:

“Seu filho não tem leite e você está pedindo na internet? Venda o celular!”

“Será que tá sem leite mesmo? Ou você não está fazendo o que deveria?”

E de tantas outras, tão rotineiras:

Clique para ler mais
EXPRESSÕES PARA ABANDONARMULHERES E DINHEIRO pt.2COISAS QUE TODO MUNDO DEVERIA SABER (Copia)O QUE É SORORIDADE?O MITO DA FUTILIDADE FEMININA