Inspirar

Ideias para desaprender em 2022

uma #listadeclara de 8 ideias para desaprender nesse ano de 2022 e sempre!

“Machismo é dar soco na parede, assediar mulher na rua, ser violento.”

É possível ser machista:

– e parecer legal para todo mundo
– com a mãe, irmã, esposa, chefe;
– usando voz mansinha;
– com manipulação psicológica…

Precisamos atualizar o que entendemos como machismo e abuso para ler os sinais mais cedo. 

Elitismo cultural

que é a ideia de que tudo que for “popular” é indigno ou “emburrecedor“. Portanto, o que você consome, mesmo nos momentos de lazer, define seu valor e a sua inteligência.  

Lembrete:

Você não é melhor do que ninguém só porque:

– Odeia funk, pagode, reality shows, filmes dublados, novelas, comédias românticas…
– Jamais leria fantasia, romance, ficção;  
– Ama música clássica, documentários, vinhos e Bukowski.

Romantização da pobreza e a meritocracia

“Dinheiro não traz felicidade”.
“De que adianta ser rico e triste?”
“Pobre não precisa de muito pra ser feliz”.
“Ué, tá passando fome? Só vender o celular e fazer bolo de pote…”
“É pobre porque quer. O sucesso vem pra quem não tem preguiça de trabalhar”.

As narrativas do “pobre que gosta de ser pobre” e do “pobre que merece ser pobre” andam juntas e são mentiras que já passaram da hora de ser desaprendidas.

“Trabalhe enquanto eles dormem”

Todos os minutos, de todos os dias, até poderiam ser preenchidos com uma tarefa produtiva. Mas deveriam? Não.

Ninguém é produtivo o tempo todo.

Descanso é fundamental.

Seu lazer não precisa ser edificante.

“Todo mundo sente igual” 

Você….

Perdoa fácil? 
Em um mês, já se apaixona? 
Chora e quer colo quando está triste? 
Jamais sofre após um término?  
Não fica cansada após o trabalho? 
Pede ajuda com facilidade? 

Tudo certo. Mas não diminua ou julgue os sentimentos alheios só porque as pessoas não sentem e reagem como você às situações.

“Se é minha opinião, tem que ser respeitada”.

Depende. Você acha que…

fascismo, LGBTQfobia; machismo; racismo; xenofobia; capacitismo; bullying…

são só opiniões? Não são. 

Essa ideia de que tudo é só uma questão de opinião foi utilizada por tempo demais para silenciar quem se opõe ao discurso de ódio.

“Todas as mulheres sonham em ser mães”

– 27 anos? “Ah, vai mudar de ideia.”
– 37 anos? “Vai se arrepender depois.”
– “E quem vai cuidar de você na velhice?”
– “Então, você odeia crianças?”
– “Ainda não achou a pessoa certa”;
– “Que pena, nunca vai saber o que é amor…” 

Não seja essa pessoa neste ano (e nunca).

“Desistir é sempre um fracasso.”

Desistir:

– da relação falida; 
– do curso que você odeia; 
– de corresponder às expectativas alheias;
– do sonho que mudou;
– da amizade que não faz mais sentido.

Desistir, abrir mão, terminar pode ser até um ato de amor próprio.


Quais dessas ideias MAIS precisamos desaprender nesse ano de 2022? 🗣 Qual foi/é mais difícil pra você? 

Compartilhe pra ajudar a desconstruir essas ideias TÃO comuns. 🧙‍♀️✨✨✨

Ah! Acompanhe o @clarafagundes para mais conteúdos educativos como esse 💁🏽‍♀️

Previous PostNext Post

❤ Você também vai gostar ❤

Sem comentários

Responda

Tempo é preciosoO sucesso TMConselhos para o eu do passadoMulheres no mercado de trabalhoHomens, mulheres e infantilização