5 filmes para ver antes de morrer

https://www.youtube.com/watch?v=f58Ba78abHg&t=24s

Inspirada pelo projeto 5dicasporfavor, escrevi esse texto. A ideia original abrangia apenas 5 livros, 5 filmes e 5 álbuns e foi abandonada pelo seu criador, infelizmente. Eu, por outro lado, gosto dela como sempre e só precisei dividi-la e lhe acrescentar 2 categorias para escrever a série de posts que começa agora.

EDIT: Para descobrir os 5 livros para ler antes de morrer, ler sobre os 5 programas de TV para assistir antes de morrer ou conhecer os 5 livros para ler antes de morrer, clique nos links.

5 filmes para ver antes de morrer

Os critérios aqui não foram a relevância dos filmes para a história do cinema, isso é assunto para um post distinto. Esses são os 5 filmes que eu sinto que precisam ser vistos: explicarei logo abaixo os porquês. Seja pelo brilhantismo, pela moral, pela magia ou por ser surrealmente desconhecido (vide Saawariya), esse quinteto cinematográfico é o meu queridinho entre tantos outros queridinhos.

Para saber mais, clique no nome do filme.


1. Onde vivem os monstros, dirigido por Spike Jonze.

“Onde vivem os monstros” é o mais polêmico desta lista porque costuma despertar ódio ou amor, nunca sentimentos mornos. A falta de uma estrutura narrativa fixa e o realismo fantástico da história acabam confundindo alguns telespectadores desavisados que, por isso, deixam escapar a grande joia do filme: as suas metáforas. Nunca antes um filme conseguiu retratar tão bem a infância, os sentimentos e as várias crianças dentro de um menino que, por vontade do autor, chamou-se Max. A sinopse é simples: Max foge de casa e, após lançar-se ao mar, alcança uma ilha povoada por monstros. Monstros de todos os tipos e com todos os padrões de comportamento possíveis. Monstros que, rapidamente, revelam-se ser ninguém menos do que os Maxes dentro do próprio Max. Dessa ilha, não sem razão, o menino se torna o rei.

O adjetivo para ‘Where the Wild Things Are’ é: extraordinário. Por isso, não adianta assistir esperando um roteiro quadrado. Espere, por outro lado, encanto, uma fotografia de doer de tão linda e as melhores alegorias do cinema contemporâneo em um só filme. É uma adaptação do livro homônimo – que também é lindo.

Obs: Quem viu Moonrise Kingdom, vai perceber os sussurros de Onde vivem os monstros no ar.

1 sneak peek do encanto:

 


2. Volver, por Pedro Almodóvar.

As mulheres de Almodóvar são impetuosas, livres de estereótipos e pintadas a cores primárias. Volver é um filme sobre e para elas. Acompanha Raimunda (Penélope Cruz) e as mulheres de diferentes gerações da sua família enquanto nadam contra a correnteza implacável da vida. Mais uma vez, o elenco favorito do diretor – Penélope Cruz, Chus Lampreave, Lola Dueñas e Carmen Maura – mostra-se magistral. A fotografia e a edição de arte, obras primas. Quanto à direção, é quase inconveniente elogiar o que é absolutamente infalível. Resta apenas dizer que Almodóvar é o meu diretor favorito, entre mortos e vivos e que ele nunca decepciona. Nunca.

Volver me serviu como porta de entrada para o *Maravilhoso Mundo de Almodóvar*, do qual jamais saí. Por isso, aviso: cuidado! Depois de descoberta a sua chave, não há volta. Gênio.

1 razão para morrer de amores (porque já não basta ser talentosa, linda, etc., ainda tem que cantar):


3. Billy Elliot, de Stephen Daldry.

Billy Elliot é a história de um menino que descobre o seu amor pela dança. E também é a história de um pai que ama o seu filho de paixão. O cenário é o de um bairro de mineiros em uma cidade no interior da Inglaterra. A cidade está em crise, os mineiros em greve e em guerra entre os que a apoiam e os “traidores”. Em meio ao caos, Billy cai de paraquedas na aula de ballet da sala ao lado de onde pratica boxe. A partir de então, nunca mais para. A trilha sonora e o elenco impecável, em especial o próprio Jamie Bell (que interpreta o protagonista) garantem a genialidade do filme. A direção sensível de Stephen Daldry nos presenteia com algumas das mais belas cenas do cinema contemporâneo.

Esse filme é como um abraço.

Sobre a transformação do filme no premiadíssimo musical (também recomendo com fervor):


4. Malena, de Giuseppe Tornatore.

Um ensaio sobre a inveja humana. Malena faz parte daquela peculiar categoria de filmes apaixonantes que nos mergulham na mais profunda angústia. Não adianta desligar a TV e nem fechar o notebook. Como uma ficção que reflete e refrata a realidade, a agonia que Malena provoca não acaba junto com o filme. E também não se calam as suas perguntas. Qual é a natureza da essência humana? O que é a inveja? O que é o pecado?

À última pergunta, respondo com certo pesar: o pecado imperdoável de Malena (Monica Belucci) – coitada! – foi o de ser bonita demais.

1 teaser:


5. Saawariya, de Sanjay Leela Bhansali.

A prova de que o cinema indiano vem sendo vergonhosamente subestimado, Saawariya é um dos melhores musicais a que assisti em toda a minha vida. Da trilha sonora ao roteiro, da fotografia à edição de arte: tudo é cuidadoso, delicado e bonito. A trama principal fala de amor, como deveria ser. Mas nem todo amor é recíproco, entendam. Em Saawariya, assistimos ao amor de Raj pela triste jovem Sakina que, por sua vez, é apaixonada por Imaan. Enquanto ele tenta persuadir o coração de Sakina, ensina-a sobre como encarar a vida e compreender o mundo. Há algo de mágico em todas as cenas do filme, nos seus tons sombrios paradoxais à pureza dos diálogos e dos sentimentos que nele ganham vida.

1 frase para guardar: “But, don’t forget, unhappiness is a very strong opponent. Now start fighting.”


Alertinha! Essa publicação é pessoal! Não adianta espernear, mas adianta – e muito – fazer a própria lista nos comentários abaixo ou enviar a sua versão via inbox na fanpage do Blog Declara. Aguardamos novas dicas do que ler, ver e ouvir antes de morrer.

BTW, me acompanhe nas redes sociais, sim? ?

Instagram, Facebook, Pinterest.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Compartilhe

clara-fagundes-pesquisadora-do-futuro

27 anos, nordestina em SP, publicitária graduada e pós graduada pela USP, escritora e apaixonadíssima por moda, cinema, viajar e sorvete. Fico entediada bem rapidinho com as coisas, então, costumo fazer várias ao mesmo tempo. Vivo à procura de encanto.

Categorias

Podcasts de Clara

Encante-se com o trabalho de Clara

Carta Bruxa

Deixe seu e-mail para ser surpreendida com uma newsletter quinzenal mágica na sua caixa de entrada.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!