5 aprendizados que mudaram minha vida

5 aprendizados que mudaram minha vida

E que talvez possam inspirar a sua vida também

Fevereiro é o mês do meu aniversário, e aproveito para repassar 5 aprendizados que MUDARAM a minha vida e podem mudar a sua!

1. NEUTRALIDADE DO CORPO

O primeiro desses 5 aprendizados é a neutralidade do corpo, que entende que eu sou mais que o meu corpo! E eu não preciso amar tudo em mim, todos os dias, muito menos fisicamente, para ser uma mulher potente, empoderada, feminista, que se valoriza.

Porque o meu valor não precisa estar associado à minha beleza e à minha aparência. Porque o meu amor por mim não depende do meu corpo, de como eu vejo o meu corpo.

feminismo que eu acredito é muito mais sobre emancipação financeira, política, afetiva, do que sobre autoestima especificamente. Até porque eu não sonho com um mundo em que as mulheres se sintam lindas, e sim com um mundo onde as mulheres sejam livres. E que essa liberdade e o lugar social que as mulheres ocupam não dependam da aparência delas.

Para mim, a neutralidade corporal foi um conhecimento tão revolucionário, que mudou tanto a minha relação com o meu corpo, a minha relação comigo, com o meu trabalho, com o meu amor próprio mesmo, que eu falo bastante sobre isso aqui.

A neutralidade corporal me ajudou a entender o meu corpo como uma casa ou uma ferramenta que me permite fazer coisas incríveis. E não porque eu tô me sentindo linda, mas porque eu sou inteligente, eu sou criativa, autêntica, eu executo as coisas, eu vou atrás do que eu quero com o coração – que inclusive são características que eu também valorizo mais nos outros, não só em mim.

Tem dias que eu olho pra mim e não me sinto necessariamente bonita, mas ainda assim eu gravo vídeo, eu gravo aula, eu vou à praia, eu sinto orgulho de mim, eu sinto orgulho do que eu faço, do que eu entrego ao mundo.

O meu corpo se tornou o que me permite fazer as coisas que eu quero, e não o que me impede. E eu entendo que o corpo é impermanência, ele muda com o tempo. Ele muda conforme eu envelheço, ele muda conforme a minha fase de vida muda também, e isso não necessariamente precisa ser lindo. É um fato inevitável e natural da vida.

Então, se há alguns anos, na adolescência por exemplo, eu acordava e me olhava no espelho e não gostava do que via, eu simplesmente deixava de fazer o que eu queria fazer: “Ah, eu vou deixar de sair”, “vou deixar de ir à praia”, “vou deixar de usar um biquíni”, “eu vou deixar de gravar esse vídeo que eu quero” por causa da minha aparência, hoje em dia isso simplesmente não acontece.

Porque eu sei que a minha autoestima, o meu amor próprio, o meu valor, não são aquilo que está no espelho, e sim o que eu entrego ao mundo. 

2. NINGUÉM ESTÁ ATRASADA NA PRÓPRIA VIDA

O segundo dos 5 aprendizados é que não tem como alguém estar atrasado na própria vida.

Eu já falei isso várias vezes, e espero mesmo que possa entrar na cabeça de vocês, porque para mim foi um conhecimento divisor de águasEu evito muito a comparação com outras pessoas, porque eu entendo que a gente não parte do mesmo lugar.

A gente não parte das mesmas oportunidades, do mesmo tempo, da mesma aparência. Num mundo onde a neutralidade corporal feminina ainda não é uma realidade – e sim, as mulheres têm menos ou mais oportunidades de acordo com a proximidade delas em relação ao padrão -, a comparação não é justa.

O que eu posso fazer é ir, dia após dia, me aproximando do que eu quero. Eu sei que eu quero coisas, e eu estou agindo de acordo com essas coisas que eu quero.

Não é que “nossa, eu não estou atrasada na minha própria vida, então eu vou ficar aqui sentadinha e vai surgir, vai vir até mim e tudo certo”. Não: Eu quero chegar naquele ponto, naqueles objetivos, conquistar aqueles sonhos conforme o meu tempo, conforme as minhas possibilidades, e o que depende de mim.

3. FUTUROLOGIA

O terceiro aprendizado que mudou a minha vida foi a FuturologiaSaber antecipar tendências mudou e moldou a minha carreira para sempre. Me permitiu trabalhar com clientes gigantes, com projetos importantes pra mim, pensar estrategicamente o futuro, me preparar para mudanças no mercado, me adaptar e desenvolver a minha autenticidade como profissional.

Como aquela pessoa que nunca vai fazer o que os outros tão fazendo, do jeito que eles estão fazendo, por que estão fazendo, e também executar minhas próprias ideias, os meus próprios projetos, e não só projetos pra clientes especificamente. De uma forma mais estratégica, mais conectada ao futuro, e menos presa aqui ao presente ou presa ali no passado.

Se você nunca ouviu falar sobre futurologia, nem que seja aqui no blog ou lá no meu Instagram @clarafagundes (porque eu já falei sobre isso algumas vezes): A futurologia é uma ciência social baseada em quatro pilares – comportamento, dados, ciência e história -, e é um segmento de pesquisa que estuda e mapeia futuros possíveis, prováveis, preferíveis, e tendências. É um conhecimento usado por todas as maiores empresas do mundo, mas que no Brasil tem poucos profissionais formados, habilitados para usar como ferramenta.

Se você quiser saber mais sobre isso, conheça o curso que lancei sobre futurologia: A Profissional do Futuro.

4. TUDO BEM SE ALGUÉM NÃO GOSTAR DE VOCÊ

O quarto dos 5 aprendizados que mudaram a minha vida é que tudo bem se algumas pessoas não gostarem de mim, porque eu também não vou gostar delas.

Essa eu aprendi com quinze anos e nunca esqueci. No meu aniversário de quinze anos eu convidei algumas pessoas para irem numa pizzaria, e muita gente ficou na minha cabeça: “você tem que chamar fulana, senão ela vai ficar triste”, “tem que chamar ciclana porque ela é muito amiga de não sei quem”, “você tem que chamar aquela outra pessoa porque namora com não sei quem, que é amigo de não sei quem”. Quando aconteceu o aniversário, me vi em uma mesa com um monte de gente que eu não ligava a mínima.

Por que eu convidei aquelas pessoas se eu não queria genuinamente que elas estivessem ali? Só pela possibilidade de elas não gostarem de mim se eu não as convidasse. Mas por quê elas tinham que gostar de mim, se eu nem gostava tanto delas assim?

Depois daquele aniversário que tinha bem mais gente que eu não ligava do que pessoas que eu realmente queria, gostava, queria conversar, me sentia confortável, no dia seguinte eu decidi que nunca mais ia fazer isso. Foi um aprendizado tão grande que até hoje eu falo para algumas amigas que ficam “nossa, acho que fulana não gosta de mim”: “Mas você gosta de fulana?” “Não…”. Então é isso, tá tudo certo!

No momento em que a pessoa não gosta de mim, eu passo a não gostar dela instantaneamente. É algo que me impede de passar por situações ou sofrer muito por pessoas que não valem a pena. Pode ser que seja por causa do meu mapa astral cheio de Aquário? Pode ser. Mas eu boto na conta da autonomia afetiva.

5. AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR

O último aprendizado da lista é o das cinco linguagens do amor. Eu ainda lembro, no momento que eu li sobre isso, tudo mudou.

A minha forma de ler as relações mudou naquele momento em que eu entendi que as pessoas expressam o amor de formas diferentes. As cinco linguagens do amor é um livro de Gary Chapman que categoriza diferentes expressões de amor que as pessoas utilizam. Então, ele fala que são cinco – não sei se são só cinco, mas eu acredito que existam pelo menos essas, que são: Presentes, toque físico, palavra, atos de serviço, e tempo de qualidade.

A minha linguagem do amor é tempo de qualidade. Quando eu quero expressar que eu amo alguém, eu dou o meu tempo, então naturalmente eu percebo amor dessa forma. Antes de entender as linguagens do amor, isso fazia com que eu não valorizasse outras expressões de amor. Depois, eu comecei a entender que nas relações, principalmente de amizades, que não tinham dado certo, as pessoas expressavam amor de formas muito diferentes de mim. E sendo assim, elas não entendiam a minha forma de expressar e eu não entendia a forma delas.

Não é que você só vai se relacionar com quem expressa amor igual a você, mas assim você consegue ter a sensibilidade de entender que pessoas diferentes expressam sentimento de formas diferentes. E isso faz com que a gente até se decepcione menos.

Você consegue identificar a forma de expressar amor das pessoas ao seu redor?

Gostou desses 5 aprendizados? Deixe nos comentários algum aprendizado que mudou a sua vida !

Compartilhe esse post se algum desses 5 aprendizados foi valioso pra você. 

Acompanhe @clarafagundes para mais conteúdos como esse!




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Compartilhe

clara-fagundes-pesquisadora-do-futuro

27 anos, nordestina em SP, publicitária graduada e pós graduada pela USP, escritora e apaixonadíssima por moda, cinema, viajar e sorvete. Fico entediada bem rapidinho com as coisas, então, costumo fazer várias ao mesmo tempo. Vivo à procura de encanto.

Categorias

Podcasts de Clara

Encante-se com o trabalho de Clara

Carta Bruxa

Deixe seu e-mail para ser surpreendida com uma newsletter quinzenal mágica na sua caixa de entrada.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!