Inspirar, Sentir

Sinceridade não é grosseria + Guia prático

☀️Sinceridade desnecessária + guia prático ☀️

Este será um texto sincero, eu prometo, mas nada grosseiro. Um texto para quem também acredita que sinceridade não é o mesmo que grosseria e, mais do que isso, que sinceridade não é desculpa para indelicadeza, maldade ou intromissões desnecessárias. Não sei quando isso aconteceu, mas aconteceu: a desculpa da “sinceridade incontrolável” virou um passe livre para julgar, destratar, desprezar e humilhar outras pessoas. E, simples assim, a virtude virou uma arma. Pois eu cansei das frases que pregam a liberdade de expressão acima de tudo, num tom de “me desculpe se sou sincera e você não aguenta”, “não tenho culpa se você se ofendeu” e “hoje em dia não se pode falar mais nada”.

Eu só consigo pensar no quão prepotente é alguém achar que a própria opinião é tão, mas tão importante, que precisa ser compartilhada, mesmo ofendendo os outros, sem razão alguma, além de: “é que eu sou sincero mesmo”. Não, não confunda. Isso se dá porque você é grosso. E você é, sim, responsável pelo sentimento ruim que causou no outro se a sua opinião grosseira sincera não foi solicitada. A comunicação é uma via de mão dupla, se o que falamos machuca o outro, é claro que isso é de nossa responsabilidade.

Mais do que isso: vivemos em sociedade e precisamos entender que a nossa opinião não é uma verdade absoluta. Isso quer dizer que o que achamos feio, outros acharão lindíssimo e o que achamos gentil, outros acharão patético. Feliz ou infelizmente, navegamos todos os dias em meio a achismos e certezas incertas. Portanto, é muito importante entender a nossa opinião pelo que ela é: um possibilidade, entre tantas. Sendo assim, a sinceridade que ofende gratuitamente é petulância, e esse orgulhoso “falo na cara mesmo” pode muito bem ser só enfiar o betelho onde não fomos chamados mesmo.

Não me entendam mal, sou fã de sinceridade, inclusive sou adepta. Mas isso não me dá o direito de derramar nos outros os meus pitacos como se fossem verdades inquestionáveis – até porque eu bem que queria que fossem, mas não são.

Ainda assim, aprendi muito nessa busca por entender como diferenciar intromissão de sinceridade, opinião de crítica e “excesso de cuidado” de ofensa. Fica aqui um apanhado desses aprendizados de coisas que são, sim, sinceridades, além de um guia rápido com 4 perguntas para distinguir sinceridade de grosseria na prática.

☀️ Algumas coisas que são, sim, sinceridade:  

Não sair com alguém, mesmo sem querer, só porque a pessoa te convidou.

Não ser bff de alguém que você desgosta.

Seguir os seus próprios valores morais.

Não elogiar o que você acha feio.

Não “dar uma chance” a alguém só porque todo mundo acha que você deveria.

Não escolher um curso “seguro” quando o que você deseja é seguir o seu coração.

Defender o que você acha certo, mesmo se te acharem exagerado por isso. (Quem oprime geralmente acha.)

Não fingir sentir prazer, alegria ou saudade, mesmo que isso decepcione alguém.

Ao criticar a beleza ou o gosto pessoal de alguém com quem você não tem intimidade, assumir que o fez não para salvar a pessoa com a sua nobre sinceridade e, sim, para se sentir melhor consigo mesmo. Afinal, a sinceridade, como a gentileza, precisa começar de dentro para fora.

Não fazer juras de um amor que você não sente e nem dizer “vamos marcar mesmo” para quem você não quer ver.

Dar a sua opinião, quando relevante e/ou solicitada, sem agressividade.

Avisar às amigas sobre a alface no dente, o papel higiênico colado no sapato e a roupa às avessas.

Não guardar rancor e informar imediatamente à pessoa quando algo te incomoda.

☀️ Tutorial para diferenciar sinceridade de grosseiria em 5 passos: 

1. Pergunte-se: “Alguém se referiu a mim? Se sim, essa pessoa pediu a minha opinião?”

2. “O que a pessoa está fazendo ou falando me atinge diretamente?”

3. “O que a pessoa está fazendo ou falando ofende ou humilha outra pessoa?”

4. “Eu me chatearia se essa mesma pessoa falasse para mim o que eu quero dizer, mesmo se ela estivesse certa?”

5. Faça as contas. Se a resposta for não para mais de uma dessas perguntas, o que você está pensando em dizer não é sinceridade, é só maldade ou intromissão mesmo.

Simples, né? 

O que vocês acham? Concordam?

Para mais posts sobre comportamento, conselhos e relacionamento, clique aqui. 


Para reflexões, achados e fotos fofas, me acompanhe nas redes!
Instagram, Facebook, Pinterest.

antix barrado papoulas blog declara

Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

16 Comentários

  • Responder Nanda Doria 17 de Março de 2016 at 11:54 AM

    AMEEEEEEI o texto e principalmente as dicas finais.
    Eu sou uma pessoa sincera, mas entendo meus limites. Opiniões pessoais devem ser guardadas quando não são solicitadas por outros. Ninguém deve impor acima de ninguém seus próprios pensamentos, é grosseiro e idiota.

    http://www.vodkaescarpin.com.br

    View Comment
  • Responder kamii 18 de Março de 2016 at 10:38 PM

    Exaaaaatamente! Amei o texto! Gosto de ser sincera, mas dar pitaco na vida dos outros não precisa, mas sigo principalmente o de não dizer que gosta de algo que não gosta! Tento ser educada e me limitar a falar que não é meu estilo e pronto.
    Adorei também as dicas finais, a sociedade precisa dessas dicas! hahahaha

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 20 de Março de 2016 at 8:37 PM

      É bem isso, Kami, uma coisa é não mentir, outra é achar que o nosso gosto fica acima de todas as coisas.

      View Comment
  • Responder Clayci 20 de Março de 2016 at 10:16 AM

    Preciso compartilhar essa publicação com o mundo!
    Passei por uma situação muito desagradável esses dias, com uma pessoa que foi “sincera” demais comigo.
    Me deixou muito magoada e chateada, tanto que nem a procurei mais sabe?

    Acho que tem um limite e o bom senso deve prevalecer.
    Se sua opinião não vai ajudar, não dê.. Simples assim!

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 20 de Março de 2016 at 8:37 PM

      Clay, se as pessoas soubessem mais disso, teríamos que aguentar menos VERDADES que na verdade são só pitacos prepotentes, né?
      E acho que é bem uma coisa de pensar no porquê de a gente querer fazer uma crítica: é pra ajudar a pessoa ou é porque achamos que a nossa opinião é a única alternativa?

      View Comment
    • Responder Clara Fagundes 28 de Março de 2016 at 11:22 PM

      Hahahahaha, sua linda! Compartilhe sim! Vamos ver se conseguimos um mundo mais gentil <3

      View Comment
  • Responder Thaís 20 de Março de 2016 at 9:44 PM

    Super concordo com tudo mencionado no texto. Muitas, muitas pessoas mesmo estão confundindo sinceridade com grosseria e isso realmente não é legal. Magoa bastante, principalmente as pessoas mais sensíveis. Eu já me chateei com uma pessoa próxima pela falta de tato dela em confundir essas duas questões e é horrível. 🙁 Acredito que é possível SIM, sermos sinceros e não magoar os coleguinhas, haha. E ah: sinceridade nas relações é muito importante também, senão acabamos magoando a outra pessoa por transparecer sentimentos falsos.
    Enfim, ótima reflexão!

    Beijos.
    http://www.janeladesorrisos.com

    View Comment
  • Responder Camila Faria 21 de Março de 2016 at 11:49 AM

    Nossa Clara, estava falando justamente sobre isso outro dia, sobre como as pessoas andam confundindo grosseria com honestidade. O velho papo do: ah, mas eu só estou sendo honesta (e sai ofendendo quem estiver no caminho). Um horror. Adorei o texto!

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 24 de Março de 2016 at 1:59 AM

      É como se fosse um passe livre pra falar o que quisessem, né?

      View Comment
    • Responder Clara Fagundes 28 de Março de 2016 at 11:21 PM

      É muito fácil falar o que quer e se defender com o escudinho da sinceridade, né? Difícil é se responsabilizar pelo que faz o outro sentir…

      View Comment
  • Responder SisterlyLove 21 de Março de 2016 at 7:44 PM

    Otimo texto.. isso acontece principalmente na internet. As pessoas se sentem protegidas por uma tela e sao muito grossas. Parabens pela iniciativa. Bjs
    Debora
    http://www.sisterlylove.com.br

    View Comment
  • Responder Rhu Pereira 21 de Março de 2016 at 8:00 PM

    Que post! Na internet é muito comum ver as pessoas sendo grosseira na tentativa de ser sincera, e elas nem se dão conta de que, ao escrever algo, a chance de ser mal interpretado é maior que na fala. Isso gera textao hahah! Adorei tu ter passado teus ensinamentos e divido essas dicas com a gente! As migs e qqr pessoa tem que avisa sobre o alface no dente!

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 24 de Março de 2016 at 1:58 AM

      Sim, tem muito isso também. Metade da grosseria é sempre como ela é falada. Uma sinceridade pode virar uma grosseria facinho se for falada de um jeitinho escroto… Que bom que cê gostou das dicas de alguém que é sincera e se esforça sempre pra não ser grossa!

      View Comment
  • Responder Ana Murari 22 de Março de 2016 at 6:59 PM

    Adorei o texto! Concordo 100%!
    Sempre fui muito criticada por minha sinceridade… As pessoas parecem não gostar muito disso e realmente confundir com grosseria… Acabam até se distanciando, o que é horrível.
    Acho que vou mandar esse texto pra todo mundo que me chama de grossa as vezes hahahaha
    Beijos
    http://www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=GXx7jPpQzrM

    View Comment
  • Responder Rafaela 26 de Março de 2016 at 7:08 PM

    Já saí compartilhando esse texto pra um monte de gente ~like indireta pq ninguém merece pessoas que acham que “dão só sua opinião” mas na real táo destilando veneno por aí, adorei esse texto, adorei o blog, adorei vc! <3

    View Comment
  • Responda