Explorar

Resenha do filme “O Regresso”, com DiCaprio!

☀️ Mais sobre o filme “O Regresso”, indicado ao Oscar 2016 ☀️

Toda vez que a lista dos indicados ao Oscar sai, eu vou logo correndo conferir os que já vi, os que quero ver e os que eu acho que nem deveriam estar ali. Dos indicados a Melhor Filme de 2016, já tinha visto “Perdido em Marte”, “A Grande Aposta” e “Spotlight”, mas só fui ver “O Regresso”, ou “The Revenant”, nesse fim de semana que passou. Nas redes sociais, já está todo mundo aguardando DiCaprio finalmente levar a estatueta para casa porque, supostamente, o filme é incrível. Ele está incrível. O roteiro é incrível. E assim fui ao cinema, esperando, ó, fireworks:

tumblr_n1ch806DDY1t2av34o2_500

Agora, vou dar uma pausa para falar que, de fato, Leonardo DiCaprio já mereceu levar o Oscar. Ainda assim, acredito que as pessoas dão mais credibilidade ao prêmio do que ele merece. Afinal, em 2013, Jennifer Lawrence levou a estatueta por a sua participação no drama-quase-comédia-romântica Silver Linings Playbook. Concorrendo com Lawrence (que estava no auge da fama): a maravilhosa Emanuelle Riva, no devastador “Amour“, e Quvenzhané Walli, em “Beasts of the Southern Wild“, a atriz mais jovem a concorrer a categoria. Como levar tão a sério o Oscar depois disso? E eu estou só falando de uma escolha recente e muitíssimo duvidosa para o prêmio de melhor atriz, não vou nem entrar no mérito de edições mais antigas e de outras categorias, como filme, direção, ator, etc.

Voltando a “O Regresso”, adianto que saí do cinema decepcionada. Não há outra palavra. Como sempre, quando vejo um filme que era para ser incrível e saio decepcionada, saí lendo resenhas para ver se, quem sabe, eu havia deixado passar detalhes ou mesmo se o que eu considerei como defeitos impossíveis de ignorar tinham explicações ignoradas por mim. Vai saber. E, aparentemente, não. É isso aí mesmo.

IMPORTANTE: ESSA PARTE DO POST NÃO CONTÉM SPOILERS.

O Regresso, para quem não sabe, é baseado na história real de Hugh Glass, um explorador tão lendário que já virou personagem da música “The Song of Hugh Glass” (1915), do livro “Lord Grizzly” (1954) e do filme “Man in the Wilderness” (1971), além do livro que inspirou o filme, “The Revenant”, ou “O Regresso” (2002). Em “O Regresso (2015), Glass é interpretado por DiCaprio e é um caçador e guia de um grupo de vendedores de peles, em meio a uma expedição pelo Velho Oeste americano. A região, ainda quase inabitada, é disputada por índios de diversas tribos, franceses e outros exploradores.

Logo no início do filme, contudo, após um ataque da tribo dos Arikaras ao seu grupo, comandado por Andrew Henry (Domhnall Gleeson), Glass é atacado por um urso e praticamente esfolado vivo. Devido ao medo de serem atacados novamente, longe do acampamento e indefesos, os homens acabam deixando Glass para trás, depois de muito esforço do capitão para carregá-lo montanha acima. Três homens são recrutados para cuidar do enfermo e um deles assassina o filho indígena bastardo de Glass (tem isso no trailer, não comece a se descabelar) na sua frente.A história começa, então, quando Glass, deixado sozinho à beira da morte, decide vingar a morte do filho (Hawk) e a traição de terem-no abandonado em território inimigo para morrer. E aí, minha gente, é que surgem também os problemas. Como sou uma pessoa positiva, vou deixar para falar das coisas boas no final, pra terminar com aquele clima de “bom, pelo menos…”, sim?

O assassinato de Hawk ocorre a menos de um passo de distância de Glass. Só que ele não consegue falar, se mover, se sentar, muito menos defender o filho. Isso quer dizer que, sim, ele assiste ao filho morrer praticamente imóvel. Pois bem. Logo após ser abandonado, Glass consegue se soltar de onde está, sair da cova onde foi enterrado vivo, se arrastar até o filho e falar com ele. Ué? Como as histórias ocorrem paralelas – a dele, a dos índios, a do grupo com o capitão e a dos dois retardatários -, fica claro que essa passagem de tempo foi de, no máximo, um dia. E isso ocorre em diversos, incontáveis momentos do filme. Não estou falando de um homem que se recupera bem em uma semana. Estou falando de um homem que não consegue mover um dedo para salvar o filho sendo assassinado na sua frente porque foi atacado por um urso e nem consegue avisar ao outro companheiro sobre o que aconteceu e no dia seguinte milagrosamente está saindo da cova, se arrastando e conversando com o filho morto. Logo em seguida, inclusive, sai mancando e andando por aí.

Em meio aos comentários e resenhas sobre o filme, notei que ninguém falou sobre isso. Então, eu vou falar. Primeiro, ele não conseguia falar e nem se mover, aí, não mais que de repente, ele pode falar, se arrastar, depois mancar e sair andando por aí. Poucos dias depois, ele sobrevive montado em um cavalo a uma queda de um penhasco enorme. O cavalo morre, ele não. Inclusive, não só morre, como fica em pé e destripa o cavalo sozinho para dormir dentro dele. Sim. Então, ele acorda no dia seguinte e sai andando normalmente, para logo depois começar a correr, claro. Além disso, logo à frente, ele também sobrevive dentro de um rio cheio de pedras e quedas d’água. Em outras palavras, quase um Missão Impossível 6 – Velho Oeste. Ou um Busca Implacável starring DiCaprio.

Outro defeito incômodo é que a direção misturava o presente ao passado dele com a mãe de Hawk, e a oração que essa índia o ensinou há muitos anos atrás fica de plano de fundo, como um disco arranhado, durante muito mais momentos do filme do que o aceitável.

Um dos maiores problemas do filme, ainda, é que nenhum conflito foi abordado de verdade, nem mesmo o que se passa no interior de Glass. Em O Regresso, não conhecemos bem a sua relação com o filho, não conhecemos a história dele com a mãe de Hawk, não conhecemos a história dos brancos caçadores de peles e nem das rixas entre índios e franceses e nem mesmo entre as diferentes tribos indígenas. Todos os conflitos são pincelados, não há uma imersão em nenhum desses pontos (e nem dos outros que não falarei para não spoilar muito).

A minha cena favorita, por exemplo, é um confronto entre o cacique da tribo dos Arikaras e um comandante francês. No entanto, o clímax da cena se resume a duas falas, que tocam em um ponto sensível, mas de maneira tão rasa que parece ter faltado interesse ou coragem por parte do diretor Iñárritu de abordar o tema com a atenção que ele merecia. Não consegui deixar de pensar: “ué, mas só? lançou essa bomba por nada?”

Mais um ponto desfavorável a O Regresso: você sente o tempo passar. O filme tem mais de 2h30min e você sente cada tiquetaque do relógio. E eu sou genuinamente apaixonada por cinema, viciada mesmo, nível: ver 5 filmes em uma única semana, para mim, é normal. Já assisti a filmes de 3h, 3h30min, até mais, e nem vi o tempo passar. A Lista de Schindler, por exemplo, tem mais de 3h (197min) e parece ter 1h de filme. Foi assim que aprendi que, geralmente, se você sente cada minuto de um filme passar, ele não é um filme incrível. No máximo, pode ser um bom filme.

ATENÇÃO, O PRÓXIMO PARÁGRAFO CONTÉM DOIS SPOILERS.

Não consegui engolir ainda dois fatos. O primeiro é que, em determinado momento, o grupo acredita que Hawk está perdido na floresta à noite, após um grande ataque a um acampamento inimigo que gerou um prisioneiro. Pelo valor de $10 por homem, quase um exército decide se arriscar para resgatar o filho bastardo de Glass de quem nenhum deles nem gostava porque era meio índio. Na floresta, à noite, em território que até então era inimigo. No entanto, no dia seguinte, quando um traidor rouba todo o dinheiro do acampamento – repito: todo o dinheiro que serviria para mantê-los até o reforço chegar, já que nem barcos eles tinham mais -, somente Glass e o capitão saem do forte para recapturar um único traidor sob a luz do dia. Esse traidor havia cometido um assassinato e roubado todo o dinheiro disponível até um reforço que eles nem sabiam quando viriam. Por último, e esse é um spoiler grande, Glass não demonstra reação alguma após a morte do capitão, que era, claramente, amigo e defensor dele.

TUDO LIMPO DE NOVO. 

Não contente, o filme se prende muito em determinados momentos a um suspense completamente desnecessário. Durante a sequência final, dá para perceber (e se irritar muito com) isso.

Agora, vamos aos pontos positivos.
– A MAQUIAGEM e OS EFEITOS. O urso está perfeito e, nossa senhora, a maquiagem desse filme é de cair o queixo. Observem:

o regresso filme leonardo dicaprio maquiagem

e isso nem é nada comparado ao resto do corpo

– A fotografia e a luz, sem dúvidas. O filme, inclusive, foi filmado inteiramente em luz natural, no norte gélido do Canadá. 

o regresso filme

– A cena inicial, filmada quase toda em plano-sequência, coisa linda de se ver.

o regresso filme

bem Game of Thrones

– Algumas atuações, inclusive a de Tom Hardy e de DiCaprio, mas acho que ele já mereceu mais o Oscar em outros filmes, como em Diamante de Sangue (2007). 

-

– A beleza do capitão. Tá de parabéns.

o regresso captain andrew henry

eita

o regresso

limpinho

Minha nota para “O Regresso”: ☀️☀️☀️, de ☀️☀️☀️☀️☀️.

 Pra mais pitacos sobre tudo, me acompanhe nas redes sociais ?
Instagram, Facebook, Pinterest.

look declara saia de tule

 

Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

19 Comentários

  • Responder Ana Murari 15 de fevereiro de 2016 at 7:54 PM

    Que resenha MARAVILHOSA *-*, super completa!
    To louca pra ver esse filme! Vi alguns que estão concorrendo ao Oscar porque sou a louca do Oscar HAHAH, gosto de ver se concordo ou não com quem ganhou, etc… HAHAH
    Gostei também que vc avisou onde tinha spoilers e onde não tinha.
    To louca pra ver esse filme! E torcendo muito pro Leozinho ganhar, porque ele merece e muito!
    Beijos
    http://www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    View Comment
  • Responder Taís 15 de fevereiro de 2016 at 9:21 PM

    Aff esse irlandês maravilhoso! hahahahhaa <3 <3
    mas falando sobre o filme, eu ainda não vi, mas tô nessa de não sei se crio expectativas ou não, já ouvi comentário dizendo que o filme é incrível e também dizendo que não é tudo isso não.. mas enfim, o jeito é eu ir conferir! haha

    :*

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 16 de fevereiro de 2016 at 2:13 PM

      Sim, nossa, passei metade do filme pensando “multiplica, Senhor”. Veja e depois faça uma resenha pra eu ler os pitacos também, hahaha. <3

      View Comment
  • Responder Simone 16 de fevereiro de 2016 at 1:55 PM

    Eu não ainda não vi o filme e sinceramente Di Caprio já deveria ter levado Oscar a muito tempo. Gosto muito da atuação dele
    http://www.charme-se.com

    View Comment
  • Responder Thay 16 de fevereiro de 2016 at 2:31 PM

    Estou super curiosa para assistir The Revenant, mas não sei quando poderei fazer isso, vida tá uma loucura, socorro. Apesar da curiosidade, fico também com um pouco de receio: quando muita gente começa a elogiar e o hype a crescer, geralmente me decepciono quando chega a minha vez de assistir. Acho que as minhas expectativas crescem tanto que depois o filme não consegue acompanhar. E penso que já passou da hora de darem esse prêmio pro Leo, nem que seja par ao povo parar com essas piadinhas. Não sei se um dia o Oscar teve alguma credibilidade, mas a partir do momento em que eles decidem premiar Gwyneth Paltrow no lugar de Fernanda Montenegro é porque alguma coisa está MUITO errada, haha. Beijo!

    View Comment
  • Responder Juliana 16 de fevereiro de 2016 at 2:44 PM

    Esse é um dos filmes que estou super a fim de ver, pois é um estilo que curto bastante. Fiquei triste com sua resenha, mas é bom porque me prepara pro pior, eu realmente ia assistir jurando que era maravilhoso e provavelmente me decepcionaria xDD Adorei a resenha, achei bem completa e li também a parte dos spoilers, porque não tenho problema com isso, rs. As fotos são incríveis. Vou tentar ver semana que vem 🙂

    Beijos!

    View Comment
  • Responder Doris 16 de fevereiro de 2016 at 6:01 PM

    Pra mim o filme foi oque eu imaginava ser, bastante intenso. Achei a atuação do DiCaprio ótima, mas já nao sei se seria a melhor diante dos outros indicados. Não tenho crítica nenhuma ao filme, na minha opinião é um ótimo filme mesmo. Na cena em que vc cita que o Glass vê seu filho sendo assassinado e não faz nada, tenho quase certeza que ele estava amarrado na maca, como anteriormente estava quando tentavam puxar ele montanha de gelo acima. No momento em que o assassino do filho dele o arrasta para a cova, ele corta essas amarras, oque pra mim significa que ele não esta a totalmente debilitado quando o filho morreu, mas estava amarrado. Também acho que a falta de explicação de outros contextos como a relação com o filho ou a mulher foi proposital, oque intriga e abre para a imaginação do espectador e eu acho isso inspirador! Tão bom quando não se tem apenas uma historia e sim varias possibilidades! E o foco era esse mesmo, a vingança! Enfim, um filme de suspense bastante sangrento, mas muito bom!

    View Comment
  • Responder Nanda Doria 16 de fevereiro de 2016 at 11:06 PM

    Amei a resenha.
    Estou louca pra assistir o filme. Estava ouvindo falar MARAVILHAS dele então confesso que sua resenha me bambeou hahaha. Eu quero muito que o DiCaprio leve o Oscar, MAAAAAAAAAAAS sei não hein? Falaram que o Eddie ta arrebentando em “A Garota Dinamarquesa” e estão esperando um segundo ano consecutivo de Oscar pra ele, mas enfim né… Vamos esperar! hahaha

    http://www.vodkaescarpin.com.br

    View Comment
  • Responder Diise França 17 de fevereiro de 2016 at 3:15 PM

    Clara, que resenha, hein?
    Concordo com você quando falou sobre o Oscar.
    Mas a historia de Leo deveria ter um, com certeza!
    Olha não gosto muito de filmes assim!
    Mas talvez eu dê uma chance por causa da tua resenha hahaa
    Beijos

    http://www.utilidadebobagem.com/
    Siga o insta do blog: @blogueb

    View Comment
  • Responder Paty 17 de fevereiro de 2016 at 3:49 PM

    Olha, vou dizer que também me decepcionei um pouco, viu. Eu AMO o DiCaprio e acho que ele merece todos os prêmios do mundo por, basicamente, todos os filmes dele, mas não acho que este é um deles =/.

    Você comentou que o diretor não se aprofundou em nenhum tema e nós não conhecemos nem a história do Hawk e nem da mãe dele, mas eu acho que nós não ficamos próximos nem ao próprio Glass. Como surgiu o romance dele e da mãe do Hawk? O que aconteceu no dia que ela morreu? Como ele fugiu? Como começou a trabalhar para o Capitão que eu esqueci o nome? Puff, nada. Fiquei muito chateada mesmo. Ainda nem terminei de escrever o meu post sobre o filme porque eu estava pensando “puta merda, eu sou sempre do contra”, HAHAHAHAHA, mas te achei no mundo e me abraça, porque você é a primeira pessoa que tem a mesma opinião que eu em relação a esse filme <3.
    O que me deixou mais puta durante o filme inteiro foi essa recuperação milagrosa. Pra quem não conseguia nem falar e só mexia os olhos, estar cantando e fugindo da galera logo depois é meio forçado, néahn.

    MAS, realmente, a maquiagem do filme é incrível. Não tem pra ninguém! Quando tiram a camisa dele, logo depois do ataque do Urso, meeeeu deeeeus, juro que estava doendo até em mim. QUE AGONIA!

    E sobre o Oscar… eu nunca levo muito a sério, porque eles são a maior panelinha e entregam prêmios pra galera deles, raramente é pra quem realmente merece, hahahahahha. Sou #TeamGolden Globes, hahahahahahaha.

    Beijo!

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 18 de fevereiro de 2016 at 6:20 PM

      Linda, maravilhosa, rainha!
      Já tô esperando a sua resenha, então, porque cê entendeu 100% do meu post e com certeza vai ter ainda pitacos que deixei passar.
      Te abraço mil vezes, hahahaha.
      Aqui, um coração pra você: <3

      View Comment
  • Responder Simone 18 de fevereiro de 2016 at 9:27 AM

    Eu vi no cinema em Janeiro e curti muito , eu não conhecia a história, vi apenas o filme então não tenho uma parâmetro de comparação .
    Beijos

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 18 de fevereiro de 2016 at 6:19 PM

      Eu também fui ver sem saber da história, fui pesquisar mais depois, pra saber se minha opiniões tinham fundamento, hahaha.
      Beijinhos!

      View Comment
  • Responder Sabrine Varolo 18 de fevereiro de 2016 at 3:17 PM

    Oiii Clara, esse eu também assisti.
    Achei o DiCaprio perfeito, o cenários, as cenas e tudo mais lindo.
    Mas acho que, como vc, faltou história, e vc sai do cinema meio vazio.

    Beijinhos,
    http://sisterlylove.com.br/

    View Comment
  • Responder Hidaiana Rosa 23 de fevereiro de 2016 at 9:20 PM

    Oi, Clara!
    Tudo bem?
    Que blog lindo você tem!
    Adorei a sua página 😉 Parabéns pelo capricho e cuidado com o conteúdo.
    Eu acho que o O Regresso tem boas chances e o Leo também rsrsrs
    Mas tudo é uma caixinha de surpresas.

    http://www.blogdahida.com

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 25 de fevereiro de 2016 at 3:12 AM

      Muito obrigada, Hida! 🙂
      Vamos ver, acho que Eddie, de A Garota Dinamarquesa, é um bom concorrente…

      View Comment
  • Responder Felipe 13 de janeiro de 2017 at 3:29 AM

    Como você diz que não contém spoilers sendo que você fala que o Hawk morre?!!! Tenha mais cuidado nas próximas…

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 13 de janeiro de 2017 at 11:47 AM

      Porque isso acontece logo no começo do filme e está até no trailer. Eu separei do parágrafo com spoilers por isso. A morte de Hawk você vai encontrar até em sinopses, etc. A história do filme começa e se baseia na vingança dele pela morte do filho. Beijo!

      View Comment

    Responda