Sentir

Pra que ficar gostosa se o verão nem liga

O verão chegou, e agora?

“Corre, você só tem mais dois meses se quiser estar gostosa para o verão!”

“Você só tem mais duas semanas para perder seus milhares de centímetros de barriga, coxa ou cintura”.

“E essas dobrinhas? Assim não vai poder usar biquíni… Pra sua sorte conheço uma dieta maravilhosa que vai acabar com o seu problema”.

As frases acima podem parecer irônicas ou debochadas, mas fazem parte do que costumamos ouvir com certa freqüência. Especialmente, com a chegada do verão. Eu me pergunto quando foi que nosso corpo virou um “problema a ser resolvido” para o outro.

Quase todos os dias converso com amigas sobre nossas inseguranças e como lidamos com o nosso corpo. Emagrecer ou ficar malhada porque evita que encham nossa cabeça de más ideias sempre parece a solução mais fácil, mesmo que em alguns meses cheguemos a confessar: ainda não estou feliz.

Sempre amei nadar. Comecei as aulas de natação aos oito anos e, de lá pra cá, foi uma das coisas que mais amei fazer na vida e que só não faço novamente por questões de tempo. Apesar disso, sei o que sentia quando conseguia nadar alguns metros a mais em uma hora, quando minha respiração melhorava e o quanto eu me sentia mais disposta.

Eu sou apaixonada pela água, mas simplesmente não consigo ir a uma praia por medo do olhar alheio. Hoje esse tal de “todo mundo” é um fantasma que eu busco expulsar da minha cabeça, apesar de saber o quão difícil é.

Sempre acreditei que nós, e apenas cada uma de nós, podemos decidir o que fazer com a nossa vida e o nosso corpo, mas como diferenciamos o que realmente queremos fazer da pressão social? Aliás, como nos livramos da premissa de que nós precisamos nos encaixar nos “padrões para curtir o verão” se isso é remar contra a maré? E como curtimos o verão quando deixamos nossas inseguranças nos dominarem?

Tenho visto circulando pelo facebook uma frase que diz “eu não tenho que ser gostosa para o verão, é ele que deve ser gostoso para mim”. Tenho vontade de escrevê-la em post-its e espalhar por todos os cantos da minha casa e da cidade, porque precisamos nos lembrar disso e precisamos falar isso umas às outras.

Afinal de contas, se o assunto é um verão gostoso, não importa o formato do corpo e menos ainda receber opiniões camufladas de preocupação. Somos capazes o suficiente de cuidar sozinhas da nossa saúde e da nossa mente. E nascemos prontas para a diversão.

Nunca vi alguém que invadiu o meu espaço dizendo opinar sobre “minha saúde” perguntando, de fato, sobre a minha saúde. Ninguém se interessa sobre minha alergia respiratória, por exemplo. Em suas cabeças o único e mais cruel indicador de “gente doente” é um corpo gordo.

Da mesma forma, aparentemente, “um corpo gordo” não possui sentimentos ou carrega suas próprias histórias, de forma que é OK falar sobre ele. É OK apontá-lo, criticá-lo e menosprezá-lo. É OK desejar que o corpo que não os agrada esteticamente precise se encaixar em padrões que, na maioria das vezes, sequer caberiam em suas próprias estruturas.

E nem sempre precisa ser um corpo exageradamente gordo. Um pouco gordo é o suficiente. Basta um qualquer-coisa-fora-do-lugar. E, às vezes, ninguém está magra ou malhada o suficiente.

Estar gostosa para o verão poderia ter muito mais a ver com nosso estado de espírito. Poderia ter muito mais a ver com o que nós desejamos, com o quanto nós nos aceitamos e amamos, querendo ou não mudar algo. Estar gostosa para o verão poderia significar que temos o direito de curti-lo tanto quanto qualquer outra pessoa (e o dever de não apontar ninguém).

Por sua vez, um verão gostoso para nós precisa significar um verão sem imposições, um verão sem regras, um verão que nos traga liberdade o suficiente para escaparmos das nossas amarras. Precisa significar um verão acolhedor, um verão que nos dê leveza e que nos renove.

Aliás, não deveriam ser assim todas as estações?


Foto: Tamara Lichtenstein.

Clique aqui para ler outros posts da Categoria “Sentir”! 

Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

17 Comentários

  • Responder Vida Expressa » Diabetes e Autoestima 12 de Fevereiro de 2015 at 3:08 PM

    […] eles: o relato da Camila Alves acerca da cobrança para ter um peso “ideal”, as reflexões sobre o corpo de verão e também uma sessão de fotos de cabelos crespos. Agora, conversando com uma colega de colegial […]

    View Comment
  • Responder Ana Murari 18 de Fevereiro de 2016 at 7:07 PM

    Nossa, A M E I o texto, de vdd! Me identifiquei demais, primeiro porque também sempre amei natação e parei exatamente por falta de tempo, mas um dia pretendo voltar *-*, nadei por 8 anos e foi maravilhoso, me ajudou com problemas na coluna, na respiração, como exercício, etc…
    Segundo que eu simplesmente não suporto essas regrinhas impostas pela sociedade, de que vc tem que ter um corpo perfeito no verão. Sou aquele tipo de pessoa, que gosta de comer o que quer, na hora que quiser, sem ter que ficar pensando o quanto vai engodar com isso, claro que temos que ser pessoa saudáveis, mas aaah, pelo amor de deus, se eu morrer amanhã, me recuso a morrer com fome ou vontade de um sorvete por exemplo!
    Não dá pra ficar se comparando com os outros, senão a gente pira! Temos que nos amar em primeiro lugar e aceitar nosso corpo do jeito que ele é.
    Desculpa o textão HAHAH
    Beijos
    http://www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    View Comment
    • Responder Fran Carneiro 21 de Fevereiro de 2016 at 6:21 PM

      Hei Ana!

      Primeiramente: nada de se desculpar pelo textão, hahaha. Eu adoro!
      Fico muito feliz que você tenha gostado do texto, muito obrigada!

      Eu nunca lidei bem com essas regras, mas confesso que sou muito sensível a esses tipos de comentários sabe? Então direto minha autoestima acaba abalada e tal. Tenho melhorado agora, me amado mais e confiado mais – o que é ótimo porque daí a gente acaba confiando não só sobre forma física, mas na nossa capacidade como um todo.

      Beijos!

      toda-maria.blogspot.com
      tinyletter.com/caosecoracao

      View Comment
  • Responder Patricia Leardine 18 de Fevereiro de 2016 at 7:55 PM

    Só quero verões se forem como os seus: cheios de amor próprio e gostosuras que vão além do corpo. Eu engordei um pouquinho nos últimos anos e, sinceramente, me sinto melhor assim, mas é claro que sempre aparece aquela pessoa para comentar. Engraçado mesmo é que ninguém fala realmente sobre a saúde ou pergunta como a gente está se sentido de verdade. Nesse momento eu gostaria de te abraçar e desejar muitas gostosuras para todas as estações!

    View Comment
    • Responder Fran Carneiro 21 de Fevereiro de 2016 at 6:25 PM

      Patricia, oi!

      É muito raro a gente ver alguém falando que se sente melhor após ter engordado, mas fico muito feliz por isso. Dia desses tava conversando com duas amigas sobre essas questões de gordofobia para um texto no meu blog e chegamos a uma conclusão: a gente não se vê mais emagrecendo/sendo magra. Curioso, né? Acho que isso indica que a gente aprende a se amar, sim. Em qualquer situação.
      Muitas gostosuras pra gente e fica aqui meu abraço pra você!

      View Comment
  • Responder Carol Espilotro 18 de Fevereiro de 2016 at 10:32 PM

    Eu amei seu texto!!! Sério, você falou algo muito de verdade. Só porque é verão temos que estar mega feliz e gostosas? Tipo? Depois que comecei meu emprego novo, vi que tem nada a ver 99% dos padrões impostos por aí, para gente verão é ir na casa dos amigos jogar, pq andar na rua/sair é mt desgastante u-u Além que adianta ficar lindona se a saúde está uma droga né? Se é para ficar bem, fique por você, não para o verão e para os outros

    bjs,
    Carol | Espilotríssimo
    http://www.carolespilotro.com/

    View Comment
    • Responder Fran Carneiro 21 de Fevereiro de 2016 at 6:28 PM

      Hei Carol! Tudo bem?

      Muito feliz que amou o texto <3 e, vou te contar: fiquei curiosa pra saber essa história com teu emprego novo, viu? hahaha. Meu verão foi ótimo e continuo aqui, gorda. Então pra que vou ficar me matando pela opinião dos outros? Saúde de verdade na maioria das vezes a gente não vê no físico do outro, então tô totalmente de acordo com você!

      Beijos

      toda-maria.blogspot.com
      tinyletter.com/caosecoracao

      View Comment
  • Responder Thay 19 de Fevereiro de 2016 at 3:11 PM

    É tão difícil desconstruir esse tipo de pensamento, né? Também comecei a nadar bem novinha, não devia ter nem seis anos completos ainda. Fazia as aulas durante a semana e nos finais de semana ia pro clube e meu pai continuava a me ensinar, era uma festa. Continuei fazendo aulas na adolescência, mas aí já comecei a ficar incomodada com o jeito como ficava de maiô. E é um saco pensa assim quando tudo o que eu queria era nadar tranquilamente, entrar na piscina ou no mar sem maiores caraminholas na cabeça. Mas a pressão que colocam nas mulheres para sempre terem corpos perfeitos é surreal – e, eu diria, até criminosa! Quanta menina desenvolve doenças relacionadas à busca pelo corpo perfeito? Quanta mulher se submete a cirurgias plásticas sem real necessidade? É uma tristeza e só com muito exercício mental a gente conseguirá deixar de pensar tão obcecadamente sobre isso. Ótimo texto! Um beijo!

    View Comment
    • Responder Fran Carneiro 21 de Fevereiro de 2016 at 6:33 PM

      THAY <3

      É realmente muito duro desconstruir essa imagem que fazem a gente ter de nós mesmas. Como disse num comentário ali em cima, eu sou extremamente sensível a qualquer tipo de comentário negativo, então por vezes acabo ficando doente emocionalmente – mas a minha saúde física anda maravilhosa, obrigada. Foi preciso muita reflexão + leitura + gente que se importa de verdade comigo pra eu aprender a começar a me amar. E isso é incrível pra mim.

      Fico muitíssimo feliz que tenha gostado desse texto <3 Muito obrigada pelo comentário!

      Beijos!

      toda-maria.blogspot.com
      tinyletter.com/caosecoracao

      View Comment
  • Responder kamii 19 de Fevereiro de 2016 at 7:34 PM

    YOU GO GIRL! Eu não tenho tantos problemas com o meu corpo, mas sei bem sobre excesso de preocupação com opinião alheia para te dizer que quando me libertei disso minha vida foi muito melhor, eu sei que não preciso ter medo de falar ou gostar de coisas diferentes, todo mundo tem fraquezas, alguns só fingem que não.
    É claro que de vez em quando eu ainda não consigo por determinada roupa ou coisas assim, mas ainda estou trabalhando nisso!

    View Comment
    • Responder Fran Carneiro 21 de Fevereiro de 2016 at 6:37 PM

      Kamii!

      Eu ainda sou muito sensível a todo tipo de comentário lixo, sabe? Mas tenho aprendido também a me sentir mais confiante – e não só sobre aparência. Tenho certeza que vamos chegar ao dia que colocaremos e faremos tudo o que tivermos vontade! NÓS PODEMOS!

      Obrigada pelo comentário!

      Beijos!

      toda-maria.blogspot.com
      tinyletter.com/caosecoracao

      View Comment
  • Responder Poly 22 de Fevereiro de 2016 at 12:46 AM

    Me identifiquei com seu texto e vou levar a frase “eu não tenho que ser gostosa para o verão, é ele que deve ser gostoso para mim” para a vida.
    É muito chato ver as pessoas impondo um padrão de beleza. Eu nem ligo para meu peso, quero é estar saudável (só faço o mínimo do mínimo para isso). O importante é ser feliz, a vida é muito curta para ficarmos seguindo padrões de beleza/comportamento.
    Bjuxxxxx

    View Comment
  • Responder Diise França 22 de Fevereiro de 2016 at 7:36 PM

    Seu texto é muito bacana!
    Adorei seu ponto de vista e concordo plenamente com você.
    Acho que as pessoas estão ficando obsessivas: redes sociais, aparência, opiniões distorcidas…
    Estão esquecendo de viver, de perceber o que realmente é bom. E isso não precisa de corpo esbelto ou foto em redes social.
    Beijos

    http://www.utilidadebobagem.com/
    Siga o insta do blog: @blogueb

    View Comment
  • Responder Taís 22 de Fevereiro de 2016 at 7:59 PM

    Amei o texto, Clara, muito bom mesmo!
    É um assunto tão chato isso, todas essas cobranças por um corpo ‘perfeito’ para o verão e a gente queira ou não acaba levando isso pra vida. Eu por exemplo sempre tive muuuuuita vergonha de ficar assimd e bikini numa boa, to sempre acanhada nos cantos, morrendo de vergonha, ou com aquele sentimento de ‘tá todo mundo me julgando’. É uma tortura, né? E não poderia concordar mais com a frase de que é o verão que tem que ser gostoso pra nós! 🙂

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 22 de Fevereiro de 2016 at 10:00 PM

      Taís, o texto não é meu, acho que muitas meninas confundiram também, hahahaha.
      O texto é de Fran, ela é colaboradora aqui no blog. <3
      Mas concordo muito com tudo, principalmente com isso de o verão ter que ser gostoso pra nós!

      View Comment
  • Responder O machista de bem | Blog Declara 21 de Maio de 2016 at 9:58 PM

    […] o mesmo que seca as meninas de biquíni na praia como se fossem pedaços de carne em exposição. Só as gordas usam maiô, já […]

    View Comment
  • Responder 15 ótimas razões para odiar o verão - Blog DeClara 1 de novembro de 2016 at 1:50 PM

    […] A pressão social. A sociedade sugere que você deve estar magra e bronzeada o ano inteiro, mas no verão… Ah! O […]

    View Comment
  • Responda