Explorar

O que fazer em SP no Carnaval: guia definitivo!

O que fazer em SP no Carnaval?

Piscamos por tempo demais e o Carnaval chegou. Tcha-nã. O feriado mais esperado, sonhado, desejado do primeiro semestre já bate à porta e assombra os que decidiram – ou de$idiram – não viajar com a seguinte questão:

– Oh, céus, oh, vida! O que fazer em SP no carnaval?

Seus problemas acabaram. Embora, com certeza, as imagens das praias de Búzios continuem nítidas em sua mente sonhadora, prometo entregar a você o Guia Definitivo Para Passar O Carnaval em São Paulo, Edição: Não-Viajantes. Assim mesmo, cheio de letras maiúsculas empoderadoras e numa edição que, por enquanto, ainda é única. Adianto que: você não irá se arrepender de vir passar – ou simplesmente ficar durante – o Carnaval aqui nessa SP maravilinda. Eis as sugestões:

  • Vá a uma exposição.

Nada como um feriadão para matar aquela desculpa de que “não há tempo” para visitar uma exposição, apreciar arte ou mesmo conhecer um novo artista. Pois bem, para a sorte de quem vai passar o Carnaval aqui, exposições incríveis são rotina em SP. As que mais amamos no momento são:

– As esculturas hiper-realistas de pessoas, por Ron Muek, na Pinacoteca.

– “O mundo segundo Mafalda”, criação de Quino, na Praça das Artes.

– As fotografias misteriosas da d-i-v-a do cinema e de American Horror Story Jessica Lange, no MIS.

  • Visite algum museu.

São Paulo tem tantos museus que fica até difícil sugerir só alguns para uma visita. Mas o ideal seria: começar por MASP, Pinacoteca e Museu da Língua Portuguesa, para os não-iniciados no assunto. A partir daí, valem também a pena o Museu da Arte Sacra, o Museu do Futebol (até para quem não ama o esporte), o Museu de Arte Moderna, o Museu Afro Brasil, o Museu da Imagem e do Som e o Museu de Arte Contemporânea.

  • Caia de amores por um cinema de rua.

Alguns dos melhores cinemas de toda a cidade são os de rua: com uma programação diferenciada e o encanto do ar retrô, eles representam o que há de melhor em sair de casa para ver filmes: a experiência, o conforto, o público e os cafés na hora da saída. Por isso, dê uma renovada e, nesse Carnaval, evite shoppings. Ao invés deles, aproveite para assistir a um dos filmes do Oscar ou a filmes em idiomas além do inglês, na Cine Sala (antigo Cine Sabesp), na Caixa Belas Artes, no Kinoplex do Itaim, na Reserva Cultural, no CCSP ou no Itaú Augusta.

  • Pule num bloquinho.

Marchinhas, axé, MPB, forró, tudo misturado nesses bloquinhos de esquentar o coração. Não sabe aonde ir? Taí, ó:

Sábado:

Bloco Tarado Ni Você, encontro na esquina da Av. Ipiranga com a Av. São João, às 14h.

Bloco de Quatro, encontro na Rua Aimberê, às 14.

Cordão Carnavalesco Confraria do Pasmado, encontro na Praça Iocinori Hatanaka, às 16h.

Bloco Finge que Sai, encontro na Praça do Beco, na rua Belmiro Braga, às 14h.

Bloco Bastardo, encontro na Rua Galeno de Almeida, às 16h.

Bloco Vai Quem Qué, encontro em frente à Igreja do Largo dos Pinheiros, às 19h.

Domingo:

Bloco Saia de Chita, encontro na Rua Tucuna, 1150, às 14h.

Bloco Bastardo, encontro na Rua Galeno de Almeida, às 15h.

Bloco Vai Quem Qué, encontro em frente à Igreja do Largo dos Pinheiros, às 16h.

Segunda:

Bloco Vai Quem Qué, encontro em frente à Igreja do Largo dos Pinheiros, às 19h.

Bloco Bastardo, encontro na Rua Galeno de Almeida, às 17h.

Terça:

Bloco Vai Quem Qué, encontro em frente à Igreja do Largo dos Pinheiros, às 19h.

Bloco Bastardo, encontro na Rua Galeno de Almeida, às 17h.

  • Curta uma boa balada.

Afinal, por que não?

O Boatismo sempre dá umas dicas incríveis.

  • Fique de boa num barzinho.

Sim, o feriado também pede indicações atemporais, como o descolado Sancho ou o tradicional Ibotirama, na Augusta. Na Vila Madalena, boas opções são o trio Genial, Genésio e Filial, famosos por seus chopes e localizados bem no burburinho, no quarteirão da Fidalga com a Aspicuelta, ou o Astor com a sua versão subterrânea – o SubAstor -, lá na rua Delfina. Pelos lados da Vila Mariana, o favorito é o famoso Veloso. Por último, mas não menos importante, o Caos, também na Augusta, para quem busca um ambiente realmente propício à paquera.

  • Beba.

Não, não é o mesmo que ficar de boas num barzinho. Isso porque certas experiências alcoólicas só podem ser oferecida por estabelecimentos especializados em determinados tipos de bebida. Cervejas artesanais são o forte da Cervejaria Nacional, do Delirium Café e do Empório Alto dos Pinheiros. Vinhos incríveis para degustação são a estrela da casa do Bardega, no Itaim Bibi. E, é claro, drinks elaborados, elegantes e caros, com direito à vista panorâmica e à garantia de impressionar qualquer date, podem ser encontrados no Skye e no The View Bar. Cheers!

  • Passeie por aí.

Outra dica sem lenço e sem documento, mas com muito cabimento (risos). Para turistas e paulistanos, um dos melhores programas ainda é mesmo passear sem muito rumo por certas regiões. Algumas rotas legais para explorar a pé são:

A av. Paulista e a cultura: nessa área, encontram-se museus e centros culturais a perder de vista: Casa das Rosas, MASP, FIESP, Itaú Cultural. E ainda há os cinemas, como a Reserva Cultural, o Playarte Splendor no Pátio Paulista, a Caixa Belas Artes na esquina com a Consolação e o Itaú Augusta, 2 quarteirões abaixo da Avenida.

A Oscar Freire e o charme: infinitos lugarzinhos gourmet para comer e lojinhas desconhecidas ao lado das maiores grifes do mundo em uma rua só. Amores: os hambúrgueres quase inacreditáveis da ZDeli e da Lanchonete da Cidade. Além de, claro, algumas das melhores sorveterias da cidade, dispostas entre Oscar e Alameda Lorena: Cuor di Crema, Bacio di Latte, Purogusto, Diletto e Ben & Jerry’s. Além das comidinhas, poucos lugares na cidade são tão gostosos de passear, com seus banquinhos, árvores e lojas que, até o fim de fevereiro, ainda nos fazem o favor de estar em liquidação. Maravilha.

Pinheiros e a mistura cult de arte e boemia: um dos bairros mais tranquilos de dia, à noite, Pinheiros se transforma num agito sem fim com seus bares e baladas. Uma boa ideia é começar o dia tomando um sorvete na Frida & Mina e seguir pela Arthur de Azevedo, passando pela Galeria Logo e pela Cartel 011. A partir daí, visitar também a Central Galeria de Arte e a Galeria Virgilio, para terminar o dia em um dos vários barzinhos do bairro, como o Gràcia.

  • Explore o Netflix.

Faça do Netflix o seu melhor amigo. Com um filme por dia, já seriam 5 ao final do feriado e umas 10 horas em que você passou ocupado com alguma coisa bacana.

O que ver no Netflix: (clique para ver a sinopse e a pontuação do filme no Filmow)

Azul é a cor mais quente

Medianeras

O Segredo dos seus Olhos

Moonrise Kingdom

Julie & Julia

Chocolate

Frances Ha

 

 Foto: Emmanuel Rosario 

Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

Sem comentários

Responda