a inveja das inimigas não faz o seu sucesso declara blog
Sentir

A inveja dazinimiga não faz o seu sucesso

☀ Desde quando alimentar a inveja alheia virou uma boa ideia?  ☀

“A sua inveja faz o meu sucesso.”

“Seu recalque é o caminho da minha fama.”

“Beijinho no ombro pro recalque passar longe.”

“Dia difícil para as inimigas…”

Cada uma dessas frases tem centenas de milhares de resultados no Google e, arrisco dizer, você já disse, leu ou ouviu algumas delas várias vezes nos últimos três anos. A nossa geração entrou num loop vicioso de acreditar que o sucesso está atrelado ao que as outras pessoas – geralmente, mulheres – sentem e não só às conquistas e pronto. Pior: ao que elas sentem de ruim, e não de bom.

Muitas de nós nem percebemos e entramos na dança. Como se já não fôssemos incentivadas o bastante pelo cinema, pela TV, pelas música e pela própria educação tradicional a alimentarmos uma competição interminável, agora, até o gosto do nosso sucesso precisa vir acompanhado do gostinho de inveja alheia. Não basta “vencer na vida”, temos também que pisar nas recalcadas, lacrar na cara das inimigas!

Desde quando alimentar a inveja alheia virou uma boa ideia? Para mim, é um sinal de que desaprendemos a (um dia soubemos?) caminhar juntas. Me chamem de purista, de sonhadora, mas prefiro acreditar no mito da sororidade do que nesse que diz que somos todas competidoras invejosas. Prefiro acreditar no sonho de desbravarmos caminhos juntas, lutando por mais direitos e espaço, do que no pesadelo que é essa necessidade eterna de chutar a escada depois de conseguirmos conquistar nosso lugarzinho ao Sol. Por isso, sugiro o inverso: que subamos todas! Cada uma a seu tempo, mas aprendendo um pouco com cada uma que tenha desbravado antes os caminhos tortuosos do sucesso. Até porque, não, infelizmente o Sol ainda não brilha para todas – mas certamente deveria.

Cada uma de nós traz consigo infinitas habilidades e experiências únicas. Não dá para entender isso de perdermos tempo competindo, nos comparando, quando poderíamos estar ganhando tempo compartilhando histórias e conhecimento. Juntas, somos melhores. A vida real não é um grande jogo de tabuleiro: o jogo não acaba porque porque uma de nós chegou primeiro à reta final. Ainda bem. Afinal, existem tantas retas finais, tantas variedades de sucesso que chega a ser prepotente ingênuo acreditar que o que você considera sucesso é o que todas as outras também desejam. Não esqueça: cada uma deve encontrar o seu próprio jeito de ser feliz.

Proponho falarmos em admiração, não inveja. Inspiração, não cópia. União, e não recalque. Exponho assim um outro jeito de (re)pensar – e eu sei que não sou a única a concordar com ele. Para sair distribuindo em panfletos por aí:

A inveja dazinimiga não faz o seu sucesso porque não somos inimigas. Ah, e, claro, porque conquistaríamos – conquistaremos! – muito mais sucesso juntas.

Gostou? Clique aqui para mais posts da categoria “Sentir” do Blog Declara. 


Psiu, me acompanhe nas redes sociais, sim?
antix barrado papoulas blog declara inveja das inimigas
Instagram, Facebook, Pinterest.
Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

18 Comentários

  • Responder Thaís 24 de julho de 2016 at 11:03 PM

    Oi, Clarinha. Você e seus textos maravilhosos, viu? O assunto me lembra muito quando somos adolescentes, porque é nessa época que nos incentivam mais a competirmos. Eu já cheguei a achar que todas as meninas eram minhas concorrentes e que era muito melhor ter amizade com meninos, tamanha a lavagem que fazem conosco. Se queremos ficar com um menino que a ”inimiga” também quer, quando adolescentes, já se torna aquela competição com cheiro de arrasar com a inimiga. E quem sai de galã nessa história toda? Inveja, raiva e afins nunca foram bons. É como você disse, é melhor irmos juntas, tem espaço para todas. <3
    Um beijo!

    View Comment
  • Responder Nathália Orige 24 de julho de 2016 at 11:07 PM

    Adorei, Clara!

    Eu não sei qual a necessidade que algumas pessoas tem de se sentir superior, ou achar que tudo é inveja e querer que todas sejamos inimigas! Sou a favor do clichê: mais amor, por favor.

    View Comment
  • Responder Samira Oliveira 25 de julho de 2016 at 1:14 PM

    Ao ler isso lembrei do nosso grupinho de amor. É bem isso né? Mais do que fazer amizades, ser amigo; mais do que falar e desabafar e compartilhar ideias, dar dicas e ajudar todas a crescer. Quem sabe um dia não estaremos no “topo” tirando fotos pra Capricho que nem a Nah, Taci, Bru… hahaha só de pensar já da uma lagrimazinha de emoção!

    View Comment
  • Responder Bárbara Fróis Borges 25 de julho de 2016 at 3:36 PM

    Realmente nos dias de hoje virou moda toda essa questão de ser melhor que os outros, de conquistar mais sucesso do que a “inimiga”, de pisar nos outros para conquistar seus objetivos. Mas eu penso qual a graça de saber que você conquistou alguma coisa porque passou a perna nos outros? Porque ser melhor do que a “Maria” se você pode ser melhor que você e conquistar o mundo?! Eu sempre aprendi que quando a gente quer ser melhor do que os outros não conseguimos sair do lugar, que devemos ser sempre melhor que nós mesmo. Mas infelizmente hoje para alguns essa é a única forma de tentar ser alguém na vida =/
    Beijos Clara

    View Comment
  • Responder Erika 25 de julho de 2016 at 4:11 PM

    Oi Clara, tudo bem? É muito triste quando vemos as pessoas tratarem umas as outras de forma como se fossem concorrentes, como se precisássemos sempre tratá-las como inimigos. É gostoso fazer amizades, conhecer pessoas novas, trocar experiências, e crescer juntas. Estamos no mundo para fazer o bem e deixar algo de positivo para aqueles que conhecemos, esse deve ser o nosso maior objetivo. Beijos, Érika ^-^

    View Comment
  • Responder Mariana 25 de julho de 2016 at 9:09 PM

    Sempre disse isso, sempre alertei pro perigo que músicas que falam “expulso as invejosas”, “pro recalque passar longe”, ou que fomentem esse discurso de que sou muito boa e a outra – é sempre inimigA, né? – não gosta de mim por recalque, inveja ou qualquer outra coisa parecida.

    View Comment
  • Responder Julia Charan 25 de julho de 2016 at 10:26 PM

    É muito estranho. A mídia nos vende isso, nós aceitamos cegamente e logo estamos reproduzimos. Acho que todo mundo já falou pelo menos uma das frases de início do post. Eu acho que tem MUITA gente que não gosta de você por inveja (não só mulheres deixando claro) e eu odeeeeeio isso mas são casos isolados. Não é só porque fulano não vai com a tua cara que ele te inveja. Gente que pensa assim, vive com o rei na barriga. Péssimo!

    Beijos,
    http://www.juliacharan.com

    View Comment
  • Responder Joanna Acioli 26 de julho de 2016 at 9:13 AM

    Que post maravilhoso, Clara. Me perdi por aqui e acabei de achando. E agora não quero sair mais do seu blog ❤️

    View Comment
  • Responder Julia 26 de julho de 2016 at 4:38 PM

    Não sei porque algumas pessoas sentem tanta necessidade de se sentir superior, melhor que os outros, ou achar que tudo é inveja. Amei o texto e concordo, juntas somos mais! <3 Bjuus!

    View Comment
  • Responder liz 28 de julho de 2016 at 11:21 PM

    ahhh, esse seu texto é fantástico! Juntas somos muito melhores, é lindo ver que voce compartilha isso com tanta gente <3

    View Comment
  • Responder Amanda Girotto 28 de julho de 2016 at 11:29 PM

    Todos esses tipos de sentimentos ruins, tratar todos como concorrentes, como inimigos, não faz bem para a própria vida da pessoa. Concordo com você, Clara, que cada um de nós têm habilidades e experiências únicas, podemos aprender um com o outro e nos ajudar. Bjus!

    View Comment
  • Responder Marina Serrano Conti 28 de julho de 2016 at 11:46 PM

    Olá. Clara! O pensamento que você compartilhou nesse texto vai bastante de encontro com o meu! Na verdade, discordo só de uma coisinha..você disse que a nossa geração é muito competitiva e carrega essa noção de despertar a inveja alheia. Claro que, com o crescimento das redes sociais e a exposição fácil isso ficou bastante acentuado, mas infelizmente receio que isso seja algo praticamente intrínseco do ser humano =( não de todos, claro. Como você disse, cada pessoa é única com suas característica e peculiaridades. Mas esse cenário de precisar puxar o tapete do outro para se sentir “subindo na vida” é tão antigo que faz pensar como ainda não evoluímos!! E o funcionamento da sociedade como um todo instiga isso nas pessoas..atiçando a competitividade em todas as áreas da vida..é tão triste, né? O importante é sabermos que esse tipo de coisa existe, tentar nos proteger contra e também procurar não perpetuar..porque o sucesso, quando se compartilha, ele se multiplica, ao invés de subtrair (como muitas pessoas ainda acreditam).
    Seu blog é lindo! Muito inspirador!
    Beijinhos!

    View Comment
  • Responder Mônica Freitas 29 de julho de 2016 at 8:05 AM

    infelizmente hoje em dia o que mais ouvimos é isso, ninguém mais pensa em caminhar junto, só quer saber de subir cada vez mais alto, pisando nos demais, sem imaginar que um dia poderá cair e claro, precisar daquele que algum dia “sentiu” a tal da inveja..
    Que o mundo conquiste mais pessoas como você .

    View Comment
  • Responder Anna Clara 29 de julho de 2016 at 10:00 AM

    Nunca concordei com isso de ter que ser melhor que alguém, pois, como você disse, todas somos diferentes e cada uma temos nossas qualidades e defeitos. Desejo sucesso à todas!

    View Comment
  • Responder Stephanie Almeida 29 de julho de 2016 at 12:58 PM

    Nunca vi tanta verdade reunida. É complicado demais hoje em dia, crescer com uma educação impecável e sem todo esse mimimi que as garotas de hoje em dia tem. Não só de chamar as pessoas de recalcada, invejosa, inimiga. Mas também de achar que a vida nas redes sociais e a quantidade de curtidas são importantes. É triste.

    Beijos, http://www.doceconceito.com

    View Comment
  • Responder Carol Justo 30 de julho de 2016 at 8:49 PM

    Cheguei hoje no seu blog e esse post já fez o blog ter um cantinho no meu coração! Seu post diz exatamente o que eu penso. Estamos na época de criar inimigas, de ver competitividade onde não tem. As pessoas deixam de viver a própria vida pra futricar a vida das “inimigas” por motivos muito bestas como por exemplo “ela comprou o vestido que eu queria” ou “ela pintou o cabelo da cor que eu ia pintar” o mundo seria mais maravilhoso se a gente não se odiasse e sim pedisse o vestido emprestado, qual o problema?
    Amei demais esse post, vou compartilhar em todas as redes sociais!

    http://www.pinkisnotrose.com

    View Comment
  • Responder Janaine Bagatini 3 de agosto de 2016 at 12:48 AM

    Este post caiu como uma luva para descrever o que eu penso sobre a geração “recalque” em que vivemos! Inimizade não leva a NADA, união é tudo. Aliás, quero levar as três palavras citadas ali em cima para a vida: Admiração, Inspiração e União.
    Em algum lugar eu li que você só vai conseguir ficar contente com o seu sucesso, quando aprender a ficar contente com o sucesso dos outros (quando for para o bem, é claro).

    Compartilhei até no twitter o post, pra ver se a galera aprende. haha

    Um beijo, sua linda!

    http://www.janainebagatini.com/

    View Comment
  • Responder Coisas absurdas que as mulheres ouvem | Feminismo é preciso | Blog DC 26 de setembro de 2017 at 7:16 PM

    […] ter curvas de todos os tipos, formar laços de amizade inimagináveis e caminhar junto com outras mulheres incríveis. E é uma luta andar sozinha na rua recebendo assédio, receber menos pelos mesmos cargos, […]

    View Comment
  • Responda