empresas brasileiras que me inspiraram em 2019 empresas brasileiras que me inspiraram em 2019 clara fagundes linkedin
Inspirar

Empresas brasileiras que me inspiraram em 2019

Acredito que inspiração pode surgir de qualquer lugar, se estivermos abertos a ela. E foi por isso que decidi publicar lá no meu Linkedin e aqui no DeClara a minha seleção com empresas brasileiras que me inspiraram em 2019. Os motivos são distintos: vão desde a inauguração até o propósito, passando por mercados, tamanhos e conceitos bastante diversos. Não é um ranking e, sim, uma curadoria.

Aviso: inspiração nunca é demais. Se achou que deixei de fora alguma empresa ou startup fundamental, favor comentar abaixo para que eu possa pesquisar sobre. Assim, expandirei a minha lista de inspirações em 2020. Até lá, sigamos com a seleção deste ano.

Empresas brasileiras que me inspiraram em 2019

A Sallve já era inspiradora antes mesmo de ser lançada. Meses antes do seu primeiro produto, já contava com dezenas de milhares de seguidores no Instagram, mais de 100 mil cadastrados na base da empresa e um time de profissionais de causar inveja em muita empresa veterana. A marca é considerada a primeira DVNB (Digitally Native Vertical Brand) de skincare do Brasil.

Há outras razões para ser inspiradora. Por exemplo, a inauguração com um único produto, construído a partir de uma pesquisa virtual com milhares de futuros consumidores. Sou fã de empresas que adotam o conceito forever beta, que acreditam na ideia de consumidores autores, diversidade real e criação de conteúdo realmente relevante para as pessoas.

É fato que a Sallve passou por um período controverso em outubro deste ano, com o qual eu certamente teria lidado de forma diferente. Na minha opinião, contudo, isso não fez com que se tornasse uma marca menos inspiradora. Longe disso. Acredito, inclusive, que a marca garantiu espaço para alguns tropeços e muitos aprendizados, exatamente por seu posicionamento de transparência e intimidade com os consumidores.

A consultoria estratégica, irmã da Think Olga, ONG feminista que nós já amamos desde 2013, precisava figurar entre as empresas brasileiras que me inspiraram em 2019. Afinal,Nana, Juliana e Maíra conseguiram transformar militância e seus valores mais transformadores em negócio. Um feito que já é, por si só, incrível.

Neste ano, elas receberam o prêmio WEPS (Women’s Empowerment Principles) e estiveram por trás do desenvolvimento de novas políticas contra o assédio em viagens da 99.

Como consumidores, brand lovers e feministas, devemos exigir muito mais do que cotas, programas específicos e comunicação inclusiva. Passou do tempo de exigirmos empresas que ampliem causas e tragam soluções reais para problemas reais. São iniciativas como a Think Eva que me lembram que não devemos aceitar “o mínimo” das empresas. É possível fazer mais, principalmente se a mudança fizer parte do propósito que coloca as ideias de pé.

Confesso que quase deixei o Nubank de fora deste artigo. Não porque não merecesse estar entre as empresas mais inspiradoras do Brasil, mas por ser um nome irrefutavelmente óbvio. Somente nos últimos 12 meses, foi eleito o melhor banco brasileiro pela Revista Forbes, a empresa mais inovadora da América Latina pela Fast Company – de quem também ganhou o título de “o maior banco digital fora do continente asiático”.

Assim, a obviedade do Nubank como empresa referência em todo o continente garantiu seu lugar também na minha humilde lista com as empresas brasileiras que me inspiraram em 2019.

Em 2019, a Gympass recebeu um aporte de US$300 milhões do Softbank e entrou para a seleta – mas crescente – lista de unicórnios brasileiros. A startup de assinatura para acesso em academias também anunciou neste ano que, em breve, terá uma oferta exclusiva para pequenas e médias empresas, um mercado cada vez mais relevante no país.

Por isso, é assertivo dizer que, apesar de todo o crescimento que tem apresentado desde o seu surgimento em 2012, a empresa ainda tem bastante espaço para inovar e conquistar ainda mais parceiros pelo mundo. Ontem, foi anunciada ainda a aquisição da Flaner, startup portuguesa especializada em inteligência artificial e learning machine. Os principais objetivos, segundo Leandro Caldeira, presidente executivo do Gympass no Brasil, são evoluir a experiência dos usuários na plataforma e expandir a internacionalização da marca.

Mais uma empresa que conseguiu transformar uma causa em negócio rentável. Nascida em 2017, é uma plataforma digital em modelo de assinatura que pretende popularizar o acesso a marcas de produtores negros.

A ideia de uma caixa mensal personalizada com produtos de micro empreendedores negros não somente é inspiradora, como possui alto potencial de impacto social. Atualmente, são mais de 90 marcas parceiras no Clube da Preta. Os modelos de assinatura variam entre R$69,90 e R$199,90 e incluem desde livros a looks completos.

A primeira dessa lista com empresas brasileiras que me inspiraram em 2019 a ser do ramo alimentício. Quando eu ouvi falar da Hakkuna, fiquei imediatamente interessada. Afinal, a empresa oferece opções de alimentos protéicos feitos a partir de… Insetos. Nordestina que sou, longe de mim torcer o nariz para a possibilidade, considerando que os índios e seus descendentes comem farofa de tanajura ou tanajura frita há muitas gerações.

O que eu não sabia – e a Hakkuna me ensinou – é que grilos, por exemplo, possuem bastante cálcio, 65% de proteína, são ótimas fontes de vitamina B-12 (como outras proteínas de origem animal) e contam com todos os 9 aminoácidos essenciais, diferente de proteínas de origem vegetal.

Além disso, se desidratados, os insetos podem durar muitos meses sem a necessidade de adição de conservantes artificiais.

Se essas não são razões suficientes para ao menos ter curiosidade de experimentar os produtos e, mais importante, imaginar um mundo com alternativas proteicas cada vez mais sustentáveis, eu não sei quais seriam.

A primeira plataforma de investimento em startups do Brasil, Kria é mais uma das empresas brasileiras que me inspiraram em 2019 que são lideradas por mulheres.

Neste ano, bati muitos papos com gente que anda fazendo coisas incríveis por aí e Camila Nasser, co-fundadora do Kria, foi uma delas. E foi assim que a minha curiosidade de entusiasta em empreendedorismo se transformou em inspiração. Até hoje, o Kria já abriu oportunidades de investimento em mais de 60 empresas. Também já conectou milhares de interessados que, por sua vez, investiram mais de 29 milhões de reais nas startups cadastradas na plataforma.

A startup foi selecionada para a segunda edição da Startup Zone, programa de aceleração de startups do Google Brasil. A ideia surgiu de um problema identificado por Daniela Leite, uma das fundadoras da plataforma. Ao buscar no supermercado frutas maduras para fazer geleia, não encontrou. Precisou recorrer ao Ceagesp, onde encontrou frutas maduras e ainda apropriadas para consumo no chão, como se fossem lixo.

De uma demanda não atendida (e de um incômodo frente ao desperdício), nasceu a ideia dessa startup social que conecta mercados, restaurantes, bares e hotéis a ONGs, pessoas e creches que precisam de alimentos por meio de geolocalização. Obviamente, todos os alimentos doados ainda estão em boas condições para consumo, mas não para a comercialização.

Assim como a maioria das escolhidas pelo Google, a startup surge para ajudar a solucionar um problema social e apresenta um alto potencial para transformar vidas, comunidades e até a relação com o desperdício de quem a utiliza.

Mais uma startup acelerada no programa Google for Startups entre as empresas brasileiras que me inspiraram em 2019.

Os números de microempreendedores e profissionais autônomos só crescem. Foram contabilizados, neste ano, 24 milhões de profissionais autônomos e um crescimento de 120% no número de MEIs nos últimos 5 anos. Os dados são do IBGE e do Portal do Empreendedor. Nesse cenário, é fácil entender o valor de uma plataforma que conecta profissionais independentes a empresas utilizando tecnologia e curadoria humanizada. Atualmente, a Nosotros tem como mercado a área criativa, incluindo designers, publicitários, redatores e revisores, e já pagou mais de um milhão de reais para os usuários cadastrados em seu banco de dados.

Conheci a Nosotros por indicação de Juliana Ricci, fundadora do Indique uma mina, e recebi a primeira proposta de freela com menos de uma semana de cadastro. Grata. Ju, que é uma das curadoras da plataforma, também foi das mulheres mais inspiradoras que conheci em 2019 – o que talvez já merecesse uma lista por si só.

Quais dessas empresas você já conhecia? E você acrescentaria alguma à lista?

Para quem também acredita no poder da inspiração que vem da troca e sempre topa um papo por Skype ou café, deixo meu e-mail: claraf@alumni.usp.br.

Instagram: @blogdeclara.

Previous PostNext Post

❤ Você também vai gostar ❤

1 comentário

  • Responderbenicio4 de janeiro de 2020 at 7:02 PM

    Olá seguidoras do Blog e futuras empreendedoras !!!!! Trazendo até você a oportunidade de independência financeira,auto cuidado e até mesmo como renda extra !!!!!
    Um curso de iniciação ao ofício de Manicure !!!! Você que está pensando ou precisando diversificar ou adquirir uma renda,a oportunidade está a um click de distância !!!
    Aproveite agora ,click abaixo para mais informações !!!!!!!

    http://bit.ly/Curso-Inicial-Manicure-Pedicure

  • Responda