sobre fazer amigos reais
Sentir

Procura-se: amigos reais | Como fazer amigos

☀ Procura-se: amigos reais ☀

Amigos reais não são os famosos “amigos verdadeiros”, em oposição aos “amigos falsos”. Até porque não acredito no conceito de “amigo verdadeiro”. Ou é, ou não é amigo – e é simples assim. Os amigos reais, aqui, são os amigos que não são virtuais. Não, não tenho nada contra amigos virtuais. Inclusive, tenho/sou, já que moro em São Paulo, mas os meus grandes amigos de infância estão todos em Sergipe. Contudo, todos eles são – como eu sou – amigos virtuais por ocasião, não opção.

Ops. Troquei os pés pelas mãos e o post já foi rápido demais. Vou recomeçar.

Olá, sou Clara Fagundes e mais da metade das amizades que fiz depois dos 20 anos começou com um “oi, tudo bem? vamos sair para fazer algo?” ou um “acho que seríamos boas amigas”. Simples assim. Há quem diga que iniciar amizades na vida adulta é dificílimo. Já eu acho que as pessoas têm medo umas das outras. O novo termo da modinha “friend crush” ilustra isso bem. Ele descreve alguém de quem você queria muito ser amigo, mas não é. Geralmente, ele se refere não a alguma celebrity ou it-girl distante, mas a alguém com quem a pessoa possui algum vínculo razoavelmente próximo. Amigo do Facebook, colega de trabalho, ex-chefe, namorada do amigo, vizinha descolada. São diversas as modalidades de “friend crush”,  mas o receio de quebrar o gelo e lançar um O-I-E é comum a todas elas.

“Há quem diga que iniciar amizades na vida adulta é dificílimo. Já eu acho que as pessoas têm medo umas das outras. O novo termo “friend crush” ilustra isso bem.”

Pois bem. O texto acabou de chegar numa bifurcação. Em dúvida entre seguir pela rota que fala sobre os amigos reais ou sobre como fazer novas amizades, falarei dos dois. Não feche a aba ainda, prometo ser coesa.

Inicio amizades com “oi! vamos sair?” porque acredito que o tempo é valioso e o tempo passado junto vale muito mais do que mensagens trocadas no Whatsapp. Mais do que isso: o tempo é um presente, que entregamos a quem achamos que merece. Encontrar alguém que acredite nisso, como eu, é um dos meus valores-base ao iniciar – e ao manter – uma amizade. Não vou me aprofundar no assunto porque já escrevi sobre os sinais de como identificar um amigo para a vida inteira aqui.

Eu sei. Essa maneira de encarar o tempo é, no mínimo, diferentona. Parece incoerente compreender a preciosidade do tempo e considerá-lo ponto de partida para a fundação de uma *amizade real*, ao mesmo tempo. Mas não é. Num período de relações líquidas e obsolescência programada compulsória, busco relações que não se liquefaçam junto com o resto do mundo. Na chamada modernidade líquida, um conceito do sociólogo Bauman, a fluidez é o estado natural das relações, desejos e ideias do Ocidente.

Millenials como somos, respiramos modernidade líquida, querendo ou não. Nada mais instintivo, portanto, do que buscar relações que ainda são chão. Os retornos ao artesanal, ao vintage, às origens, que temos presenciado nos últimos anos, também são respostas ao fenômeno. É importante notar que nenhuma dessas ondas exclui o virtual, o massivo, a velocidade moderna. Da mesma maneira, buscar relações diferentes não exclui as relações leves. Sempre haverá a afinidade gratuita que não é aprofundada em amizade, os colegas de trabalho com quem o maior vínculo é mesmo a convivência, os vizinhos sorridentes que têm estilos de vida completamente distintos do seu. Exatamente porque sempre haverá infinitos tipos de relações levinhas, as amizades reais são cada vez mais preciosas.

“Millenials como somos, respiramos modernidade líquida, querendo ou não. Nada mais instintivo, portanto, do que buscar relações que ainda são chão.”

Analisados o conceito de amigos reais, as razões de sua raridade – e do seu valor – e as diferenças que existem em relação às outras amizades e relações que nutrimos naturalmente numa sociedade em plena modernidade líquida, é hora de voltar ao tópico “como fazer amigos”.

A arte de conquistar seu friend crush, fazer amigos após a faculdade ou até durante a escola, para os mais tímidos, tem seus truques e atalhos.

Como fazer amigos
  1. Tome o primeiro passo. Chame a pessoa por inbox, mande um SMS, um e-mail, sinal de fumaça.
  2. Faça elogios sinceros.
  3. Tenha interesse pelo que a pessoa diz. É como Dale Carnegie dizia: “Você pode fazer mais amigos em dois meses se interessando pelos outros do que em dois anos tentando fazer com que eles se interessem por você.”
  4. Faça parte de um grupo do livro, de estudos ou de qualquer grupo que reúna pessoas com interesses em comum.
  5. Matricule-se em um esporte coletivo.
  6. Faça trabalho voluntário (faça amigos enquanto ajuda a mudar o mundo!)
  7. Julgue o seu amigo como queria ser julgado pelos outros. Ou seja, não julgue. O mundo inteiro já vai fazer isso com vocês dois.

Se gostou deste, cê também vai gostar dos posts da categoria Sentir do blog.


Psiu, me acompanhe nas redes sociais, sim? ☀️
Instagram, Facebook, Pinterest.
recebidos do mês blog declara
Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

11 Comentários

  • Responder Daniele carvalho 13 de julho de 2016 at 4:39 PM

    Muita verdade contida nesse texto. Eu não conhecia o termo, sou adepta e não sabia. Já me peguei pensando “queria ser amiga daquela pessoa,ela parece ser muito legal!” as vezes eu puxava o assunto outras ficava só no crush mesmo. É muito difícil fazer amigos reais hoje em dia. Concordo plenamente quando você diz que as pessoas parecem ter medo das outras noa dias de hoje e isso acaba sendo tal esquisito!
    Viu te parabenizar pelo texto, ficou excelente. A leitura é maravilhosa.
    Beijos!

    View Comment
  • Responder Cristiano 13 de julho de 2016 at 5:26 PM

    Escutei uma coluna hoje falando sobre o network (que nada mais eh que amigos na versao corporativa). E ela disse que a gente tem que querer inicialmente saber mais dele se oferecer para ajuda-lo e aos poucos vai evoluindo para uma troca sincera.
    O que uma amizade deve ser.

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 13 de julho de 2016 at 5:35 PM

      Concordo bastante, Cristiano! Qualquer amizade começa mais sólida se envolve interesse real pelo outro.

      View Comment
  • Responder Aline 13 de julho de 2016 at 8:34 PM

    Muito legal, Clarinha! Lendo isso eu vejo que não sou uma pessoa fácil de fazer amizade, viu? Na verdade sempre espero que os outros me convidem pra fazer algo, e concordo contigo, também temos que mostrar interesse.
    Beijos!

    View Comment
  • Responder Sarah Rayssa Silva 14 de julho de 2016 at 8:31 PM

    Amei o tema Clara! *-* Realmente, as pessoas estão assim, cada vez mais se fechando, esperando que as convide (e quando convidam, ainda não vão haha), é algo bem característico da nossa geração. Eu já sou bem você também, gosto de me apresentar, chegar chegando, fazer perguntas pra conhecê-la melhor e dizer bem na caruda: que seria muito legal ter amizade com ela ^^ eu acho isso tão legal, pois é algo gostoso, leve e fofo :33
    Por mais amizades reais <3

    View Comment
  • Responder Mariana Menezes 15 de julho de 2016 at 10:00 PM

    Tanta verdade em um texto <3 Tenho visto demais por aí sobre "quem é seu friend crush"? E coisas do gênero. Fazer amizade se tornou um desafio e tanto para alguns. É uma pena que seja assim, que o medo de ir falar com alguém se torne maior com a vontade de ser amigo desta pessoa.

    Amei as palavras.

    Beijos.

    View Comment
  • Responder Kari 22 de julho de 2016 at 8:32 PM

    Clara, uma ótima dica que tem tudo a ver com o seu post é um app chamado Meet Up. Eu percebi que muita gente aqui nos Estados Unidos usada e acabei baixando, para dar uma olhadinha nos grupos.
    Lá o pessoal marca grupos de leitura, esportes, fotografias, programação, qualquer coisa. Um grupo de estranhos se unindo com algum interesse em comum, abertos a fazer novas amizades. Achei tão mágico <3.
    Eu acho um pouquinho difícil fazer amigos, especialmente em um país que não é o meu, e o app vem me ajudando bastante nesse sentido 🙂
    Beijos!

    View Comment
  • Responder Juliana 28 de julho de 2016 at 3:10 PM

    Oi Clara…
    parece que o mais complicado hoje em dia são pessoas que se interessam pelo que você tem a dizer, não simplesmente pq é importante para ela, mas pq ela quer te ouvir, entende?
    As pessoas só querem saber daquilo que elas gostam… do que tem a ver com elas, eu tento ao máximo dar importância para coisas diferentes que outras pessoas falam, só pq quero dar atenção mesmo. Mas amigos reais são importantes, todos nós precisamos deles.

    View Comment
  • Responder Karina Pinho 23 de setembro de 2016 at 4:27 PM

    Concordo com você, participo de vários grupos do facebook, e sempre fico “queria tanto ser amiga dessa menina” mas se eu não vou chamar, talvez eu nunca faça amigos sabe?! Sempre fui fácil de fazer amigos, mas ultimamente tem sido difícil kkkk inclusive, tenho você no facebook e várias vezes quis te chamar pra conversar! E sempre tenho vergonha hahah! Adorei o post! ❤️

    View Comment
  • Responda