Sentir

Amigo que é amigo volta

Amigos que voltam: o perdão é o reflexo do amor

Ainda muito pequenos, aprendemos que amigos de verdade são para sempre. Com o tempo, claro, descobrimos que o para sempre não é como pensávamos e nem a amizade em si. Isso porque grande parte dos nossos primeiros *amigos de verdade para sempre* acaba não crescendo junto conosco, nem acompanhando o nosso primeiro beijo, o primeiro amor, a rebeldia adolescente, a aprovação no vestibular, o primeiro emprego. 

Afinal, nós mudamos o tempo inteiro. De sala, de escola, de bairro, de cidade, de gostos e também de companhias. E nem assim há como dizer que esses amigos que – no momento – não são mais não foram de verdade. Se foram amigos, eram de verdade. O que entra em questão é: eram amigos para a vida ou para um momento

A segunda leva dos *amigos para sempre* já se inicia com os que superaram a fase anterior. A eles, somam-se os novos amigos da nova sala, escola, bairro, cidade, país, assim como velhos conhecidos que por sorte redescobrimos constantemente.

Esse peneirar de amigos para um momento ou para a vida vai seguir acontecendo, sem parar. A diferença é que, a cada nova fase, vamos escolhendo melhor quem jogar na peneira e o *para sempre*, que antes era promessa, começa a soar como uma probabilidade. Vão para peneira os que tiverem mais potencial de sonhar junto conosco, sentir junto e os que sentirem por nós uma empatia que somente nós teríamos por nós mesmos – ou por eles.

É assim que, em alguma esquina dessas ruas tortuosas de despedidas e encontros, começamos a perceber que alguns desses amigos para a vida não são só os que ficam – eles também são os que voltam. Aprendemos que a amizade nem sempre é contínua. Que, vez ou outra, eles precisavam mesmo se encontrar antes para então nos reencontrar. E que, se a amizade era para ser, será.

Para identificar os amigos para a vida, podemos observar a presença que têm em nosso dia a dia. A frequência com que lembramos deles durante os nossos momentos de alegria ou nos de tristeza. E podemos também identificá-los observando como deixamos as portas do nosso coração para que consigam encontrar o caminho de volta – depois de uma briguinha boba ou de um silêncio de anos. Se não conseguimos fechar a porta semiaberta, da qual sai um feixe de esperança, como numa espera silenciosa, perdão em forno preaquecido, esses amigos que foram e ainda não voltaram provavelmente são para a vida.

Já que, para eles, a porta de entrada será sempre a serventia da casa.

Foto: James Theophane.

Escrevo esse texto porque acredito em amigos que vão… E voltam.

E aí? Vocês já tiveram ou já foram os amigos que voltaram?

 

Clique aqui para ler mais posts sobre amizade do Declara!


E aí, gostou? Se sim, me acompanhe nas redes sociais ☀️
Instagram, Facebook, Pinterest.

amigos antix barrado papoulas blog declara

 

Previous Post Next Post

❤ Você também vai gostar ❤

15 Comentários

  • Responder Giovanna Caetano 31 de agosto de 2015 at 9:53 AM

    Oi! tudo bem? Vim te avisar que hoje no blog day, te indiquei. Sucesso pra ti 😀
    Se quiser olhar o post: http://giovannacaetano.blogspot.com/2015/08/blog-day-7-indicacoes.html

    Beijos

    View Comment
  • Responder Amiga, queria que você soubesse - Blog DeClara 28 de setembro de 2015 at 6:38 PM

    […] E eu queria que você soubesse que eu vou estar aqui para te lembrar disso tudo, toda vez que você esquecer. […]

    View Comment
  • Responder Amanda Hillerman 11 de outubro de 2015 at 6:26 PM

    Oi Clara!
    Esse seu texto e eu fomos feitos um para o outro. Sempre fui muito aberta, de fazer amizades do dia para a noite, no fim das contas são poucos os amigos que estão comigo até hoje. Resultado disso que já quebrei bastante a cara com amizades e já houveram várias pessoas a quem eu chamei de amigo que eu simplesmente deixei ir.
    Hoje em dia sou muito mais “fechada” (não queria usar essa palavra), demoro um pouco a me abrir e a compartilhar coisas mais íntimas. Acho que o amadurecimento também causa isso, e quer saber tem sido mais leve! 😀 Hoje tenho poucas amizades, mas são elas que eu quero pro resto da vida!
    Tenho uma amiga que voltou. Na verdade, voltamos para a vida uma da outra. Conversamos, fizemos as pazes e nosso reencontro foi na Igreja, com ela entrando para ser minha madrinha de casamento! <3 – moramos em cidades diferentes!
    Beijos e bom feriado!

    PS: Que blog lindo o seu! <3 Vou adorar acompanhar!

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 12 de outubro de 2015 at 12:32 PM

      Awn, Amanda! De verdade, que bom que cê se identificou. Eu escrevi esse texto na mesma semana em que um amigo meu “voltou” depois de uns dois anos, mas já aconteceu com a minha melhor amiga também (só que com menos espaço de tempo, ainda bem). A coisa é que, com o tempo, cê começa a entender pra quem a porta ainda está aberta pra voltar e pra quem a porta deve estar aberta só pra ir, sabe? Cê começa a diferenciar os “para sempres” da sua cabeça com os da realidade. E, sim, eu sempre fui muito das amizades meteóricas de ficar grudada e depois não significar nada. Mas também tenho muitos amigos que tão comigo desde, sei lá, os meus 3/4 anos de idade. Também aprendi que muito poucas dessas amizades meteóricas ficam, mas, quando ficam, é porque eram pra ficar – e as que não ficaram simplesmente não eram e tudo bem. A leveza de deixar ir sem sofrer e de perdoar quem volta porque “tinha que” voltar é uma das coisas maravilhosas de amadurecer. E que coisa linda que ela voltou pra ser sua madrinha, de verdade! Meu coração se encheu de amorzinho com sua história! E brigada <3

      View Comment
  • Responder Rene 8 de novembro de 2015 at 4:02 PM

    o meu grande ponto fraco é a carencia, sempre confundo convivencia pacífica com amizade :'( o que eu faço?

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 9 de novembro de 2015 at 12:22 PM

      Rene, eu já tive esse problema, sabia? Dos dois lados, de confundir e de ser confundida com amiga. Depois de perceber essa possibilidade de confusão, eu comecei a seguir algumas perguntas mentais: essa pessoa sabe qual é o meu maior sonho (o atual e o da vida toda)? Eu sei quais são os sonhos dela? Nós sentimos falta uma da outra e, se moramos na mesma cidade, nos vimos no último mês? Sim, esse texto fala também sobre as pessoas que não vimos há muito tempo por um motivo ou um milhão deles, mas mesmo essas pessoas precisam demonstrar sentir a sua falta, não com a mesma frequência, mas com alguma frequência: lembrar o seu aniversário, por exemplo. Essas perguntas são boas pra entender melhor a natureza de uma amizade, mas o melhor termômetro sempre vai ser a sua certeza. Se você tem dúvidas se alguém é seu amigo, ele provavelmente não é. A nossa intuição é muito boa pra essas coisas! Carência em amizade não compensa, porque você acaba se apegando a alguém que não sente o mesmo por você, e cê com certeza merece relações melhores. Desculpa pelo comentário gigante e boa sorte <3

      View Comment
  • Responder Lotso 28 de dezembro de 2015 at 8:30 PM

    “Para identificar os amigos para a vida, podemos observar a presença que têm em nosso dia a dia. A frequência com que lembramos deles durante os nossos momentos de alegria ou nos de tristeza.”

    Certo, então identifiquei eles, me lembro com frequência diariamente, mas, nada disso garante que eles vão voltar ou que irão permanecer, mesmo eu me esforçando ou não. Recordar seria só uma outra forma de sentir dor pelas pessoas que você amou e que não estão mais com você e que provavelmente nunca mais estarão.

    “Essas perguntas são boas pra entender melhor a natureza de uma amizade, mas o melhor termômetro sempre vai ser a sua certeza. ”

    Muitas pessoas que temos certeza de que vão ficar com a gente, que estamos sempre convivendo, não ficam. Seria realmente bom se a minha certeza fosse a da pessoa…

    Difícil saber como deve agir com cada pessoa, sério, engraçado, calmo, reservado, agitado.. Tem pessoas que preferem que sejam de uma forma, outras de outra, ai você acaba se perdendo em você mesmo, não sabendo mais como deve agir com uma pessoa nova que conhece. Por mais que digam para você ser você mesmo, têm pessoas que iriam gostar e outras que não, e mesmo as que gostassem, não significa nada se irão ficar ou não em sua vida….

    Não sei se você irá ler…Mas…Caso leia, como agir com as pessoas? É possível mudar o padrão de como enxergam as pessoas?

    “(E você, vive em busca do quê?)” – Busco respostas..E quem sabe com elas conseguir ao menos realizar um sonho que seja, nisso que chamam de vida e que eu mal vivi por não saber como agir…

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 25 de março de 2016 at 1:39 AM

      Que falta de memória a minha! Eu vi o seu comentário, achei interessantíssimo e pensei: “vou escrever um post só sobre isso”. E escrevi. Mas não respondi o seu comentário! Lotso, dê uma olhada nesse post aqui: http://blogdeclara.com/como-identificar-um-amigo-para-a-vida-inteira/ Acho que dá pra entender melhor o meu ponto… Não é só lembrar, não é só ter esperança, é uma junção de muitos fatores e sinais. Seu comentário foi maravilhoso mesmo e eu li, sim. Veja se esse outro post responde melhor aos seus questionamentos! Se não, conversaremos mais… Beijo de luz!

      View Comment
  • Responder Como identificar um amigo para a vida inteira em 10 sinais - Blog DeClara 11 de fevereiro de 2016 at 6:25 PM

    […] que escrevi esse texto aqui sobre amigos que vão e voltam, que teve mais de 3.2k compartilhamentos, recebi comentários e e-mails me perguntando o seguinte: […]

    View Comment
  • Responder Natieli 28 de março de 2016 at 10:05 PM

    Olá Clara, sou a Nat lá da Liga e do Inspiração & Interação. Eu tive uma amiga de anos e sabe, depois de alguns acontecimentos foi uma para cada lado. Eu me magoei muito e creio que ela não tenha saído ilesa dessa também. Não sei por quais motivos nossa amizade acabou chegando a esse ponto, já que ela foi minha melhor amiga por tantos anos. E sabe, as vezes você fica na esperança de um dia ela voltar, mas já se passaram uns 3 anos sem nos falar e as vezes eu penso que nunca mais vamos realmente nos ver. É triste saber que tudo acabou do jeito que acabou, a vida é estranha as vezes. Mas também não posso reclamar, já que nunca dei um passo para que voltássemos a nos falar, por mais que sentisse vontade. Mas eu nunca me esqueci da nossa amizade e ainda incluo ela em minhas orações. Hoje não sinto mais mágoas em relação a ela, mudei muito desde a última vez em que nos falamos, e creio que ela também, mas me falta coragem de mandar um recadinho e ver o que ela tem a dizer e pensa sobre tudo isso. Mas enfim, chega de falar! KKK seu texto é muito bom, parabéns. Beijocas!

    http://www.imcitadin.com.br

    View Comment
    • Responder Clara Fagundes 28 de março de 2016 at 11:09 PM

      Nat, por favor, mande uma mensagem pra ela. Eu tive uma amiga com a qual passei algo bem parecido e hoje nós somos melhores amigas de novo. A questão é: para certas pessoas, o tempo não passa. Nós continuamos amando, sentindo falta e aguardando, deixando a portinha aberta mesmo. Tente. O máximo que você pode perceber é que mudaram demais e para lados contrários…

      View Comment
      • Responder Natieli 29 de março de 2016 at 8:21 AM

        É que eu tenho medo sabe, de ela guardar mágoas e eu acabar me magoando novamente ao procurar por ela. HAHAHAHAHAH 🙁 Mas sempre penso em mandar um recadinho e ver no que vai dar. 🙁

        View Comment
  • Responder Recebidos do mês | Declara Junho/2016 - Blog DeClara 6 de julho de 2016 at 12:14 AM

    […] Recebi todos os best-sellers e lançamentos da Donaflô, marca de cosméticos naturais e artesanais. Perdidamente apaixonada por produtos cosméticos como sou, vai rolar também post de resenha, entrevista com a dona (que é uma fofa!) e SORTEIO PARA LEITORAS. Podem comemorar. Afinal, felicidade é melhor compartilhada, né? Ouvi dizer. Na quinta, eu edito e coloco o link do post publicado. Vejo vocês em breve – a porta de entrada é a serventia da casa. […]

    View Comment
  • Responder Procura-se: amigos reais | Como fazer amigos - Blog DeClara 12 de julho de 2016 at 8:06 PM

    […] falsos”. Até porque não acredito no conceito de “amigo verdadeiro”. Ou é, ou não é amigo – e é simples assim.  Os amigos reais, aqui, são os amigos que não são virtuais. Não, […]

    View Comment
  • Responder Ana Murari 20 de agosto de 2016 at 8:08 PM

    Que lindo esse texto! É isso ai, as vezes vc conhece alguém e do nada a vida acaba separando vocês, mas se for de verdade, vai voltar como se nada tivesse acontecido. Agora os que vão embora pra sempre, é porque não era pra ser!
    Beijos
    http://www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=tn360ONqGHc

    View Comment
  • Responda